VENDA DE APOSTILAS E PROJETOS

Como complemento ao meu trabalho neste blog, elaborei para venda diversas apostilas de atividades de alfabetização e projetos pedagógicos de variados temas indicados para professores que atuam em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Alfabetização de Jovens e Adultos (EJA).


Os interessados poderão também entrar em contato por email ou pelos telefones abaixo:

glaucerossi@terra.com.br

glaucerossi@gmail.com

glauce.rossi@hotmail.com

WhatsApp (11) 97574-9228 (Vivo)

Glauce ou Hugo no horário de atendimento das 9:00 às 20:00 de segunda à sexta-feira.


CLIQUE AQUI PARA ACESSAR MINHA LOJA DE MATERIAIS

CADASTRO DE CONTATO

domingo, 22 de novembro de 2015

Atividades de Natal

Para trabalhar a produção de textos com o tema Natal:






































































































Estas atividades fazem parte do Projeto Natal. Para adquirir entre no meu site:
https://sites.google.com/site/diariodaprofaglauce/kit-natal

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Plano de aula - Natal



OBJETIVOS:
 Desenvolver a linguagem oral e escrita.
 Identificar a linguagem usada em gibis.

CONTEÚDOS:
- História em quadrinhos.

PROCEDIMENTOS:
1. Distribua a tirinha para os alunos. Peça para lerem o texto.
2. Após a leitura, questionar: Vocês conhece este tipo de texto? Vocês já viram esse tipo de texto? Onde? Tem algo escrito? Você sabe qual o nome dado para este texto (gênero)?
3. Juntamente com as crianças faça a interpretação da história.
4. Questione: como esse texto se organiza? Como os quadrinhos se apresentam? É possível saber em que época do ano se passa a cena? Quais personagens participam da cena?
5. Fazer com que as crianças percebam as expressões faciais do pai, Cebolinha e Papai Noel.
6. Propor que elaborem um título adequado para a história.
7. Com outra tirinha com os balões  vazios, solicitar que substituam os desenhos dos balões por fala: não se esquecer de instruir as crianças da troca que o Cebolinha faz na fala.

RECURSOS
 Cópias da história em quadrinhos.

AVALIAÇÃO
Avaliar durante as atividades: estimulando, orientando e desafiando os alunos.


Mais atividades aqui:
https://sites.google.com/site/atividadesdaprofaglauce/projeto-natal

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Como corrigir os textos dos alunos?

Em vez de considerar os erros como faltas, corrigindo-os um a um, procure olhar para a produção dos alunos como fonte de informação para pautar o planejamento do que ainda precisa ser ensinado.
Fazendo isso, é possível prever que, em breve, ao menos alguns desses erros deixarão de ser cometidos. E sem que o aluno perca algo que nos mostra já ter conquistado: a disponibilidade para produzir textos completos e coerentes.
Faça um levantamento dos principais erros dos alunos, que podem ser ortográficos, textos emendados, questões que precisam ser abordadas para que a turma escreva cada vez melhor, aproximando-se da escrita convencional.



Textos sem segmentação

Um fato frequentemente observado pelos professores é a escrita das palavras emendadas, sem espaços entre elas.
Por que isso ocorre? Um primeiro aspecto a considerar é que a separação entre palavras é uma necessidade da linguagem escrita. Quando falamos, as palavras fluem, soam ligadas umas às outras. É só no contato com o texto escrito, muitas vezes pela leitura, que o aprendiz de escritor se dá conta de que é preciso separar as palavras com espaços.

Atividade para a separação de palavras:

Depois de ouvir o poema “Chatice”, de José Paulo Paes, lido por sua
professora, reescreva cada verso, observando a separação entre as
palavras. Os números entre parênteses indicam quantas palavras há em
cada verso.

JACARÉ (1) _________________________________________________
LARGADOMEUPÉ (4) _________________________________________
DEIXADESERCHATO! (4) ______________________________________
SEVOCÊTEMFOME, (4) ________________________________________
ENTÃOVÊSECOME (4) ________________________________________
SÓOMEUSAPATO, (4) ________________________________________
ELARGADOMEUPÉ, (5) ________________________________________
EVOLTAPROSEUMATO, (5) ____________________________________
JACARÉ! (1) ________________________________________________


VEJA TAMBÉM:



sábado, 17 de outubro de 2015

Atividades sobre consciência negra

As atividades abaixo promovem debates e reflexão sobre as diferenças raciais e a importância de cada um no processo de construção de nosso país, estado e comunidade. São atividades para trabalhar o tema com alunos de 4º e 5º anos.




Mais atividades você encontra:

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Projeto de leitura

















Reportagem publicada na Revista Profissão Mestre:

APRENDENDO COM OS SUSTOS

O conto é um dos formatos de literatura mais conhecidos e populares, por ser um texto mais curto e conciso, ideal para leitura rápida. Mesmo sendo de curta duração, os contos possibilitam que o leitor reflita sobre o que acabou de ler e aprenda com isso. Por essa série de fatores, esse gênero textual é indicado para o trabalho com crianças e jovens de várias idades.

Para desenvolver atividades com esse tema, Glauce Rossi Quilici, professora de Língua Portuguesa, elaborou um projeto que aborda um grupo específico de contos: os de assombração.

O projeto é voltado para alunos do 4º ano do ensino fundamental e tem duração prevista de sete aulas. Apesar de ser focado no trabalho com contos, o início das atividades acontece bem longe dos livros: na televisão. A educadora optou por começar as práticas exibindo o filme A noiva cadáver (2005), animação de Tim Burton baseada em um conto russo-judaico do século XIX. A exibição do filme tem como objetivo aproximar as crianças da temática, uma vez que, devido à faixa etária dos alunos (de 9 a 11 anos), seja possível que eles não tenham muito contato com o tema.

Após a exibição do filme, Glauce usou a história contada no longa-metragem para conversar com os alunos sobre como são os contos de assombração. Durante o bate-papo, a professora aproveitou para descobrir se os alunos já conheciam outras histórias com o mesmo terror e quais contos são conhecidos pelos estudantes. Em seguida, os alunos tiveram a tarefa de conversar com seus pais e familiares sobre os contos de assombração que são conhecidos por eles.

A etapa seguinte do plano de aulas é a conclusão das atividades do projeto e compreende a seleção das histórias mencionadas pelos alunos, que depois serão lidas e debatidas pela classe. “O objetivo do plano de aulas é  apropriar-se da linguagem escrita dos contos, especificamente dos de assombração afirma a professora Glauce, que destaca a boa aceitação das atividades pelos alunos. 

“Os alunos tiveram bastante interesse nas aulas, principalmente porque utilizei o vídeo como ponto de partida para inserir o tema”, conta. E completa: “a participação ativa e o desempenho dos alunos nas atividades propostas superou as minhas expectativas. “Mesmo depois dessas aulas, os alunos pediram para continuarmos lendo outros contos de assombração durante o ano letivo”, revela a educadora.
















Projeto Contos de Assombração
Disciplina: Língua Portuguesa
Tema: Contos
Etapa de ensino: 4º ou 5ºano do ensino fundamental
Duração: 7 horas/aula
Recursos utilizados: livros de contos, filme A noiva cadáver (2005) e aparelho de TV.

Etapas do Plano de Aulas:
• Exibição do filme A noiva cadáver;
• Conversa sobre o filme e suas características;
• Levantamento de contos de assombração conhecidos pelos alunos;
• Entrevista sobre os contos de assombração com a família;
• Seleção pelos alunos dos contos que serão lidos;
• Leitura de contos de assombração selecionados;
• Conversa sobre as características do gênero.

Mais atividades:

https://sites.google.com/site/atividadesdaprofaglauce/projeto-contos-de-assombracao

sábado, 3 de outubro de 2015

Jogos para a alfabetização


DOMINÓ DE LETRAS 
Através desse jogo, crianças a partir de 5 anos aprendem a diferenciar letras maiúsculas e minúsculas do alfabeto.
Material:
Confeccionar 24 peças tipo dominó, uma parte com letra maiúscula e a outra com letra minúscula.
A primeira peça terá a mesma letra nas duas partes, porém as demais em peças diferentes.
Como jogar:
Poderão participar até 4 jogadores. Embaralhar as peças e dividir em número igual aos participantes. O primeiro a jogar será o jogador que tiver a peça A a.
O próximo será o jogador que tiver a peça com a letra “A” maiúscula.
Os Jogadores deverão encaixar sempre as letras minúsculas nas maiúsculas.
Sempre que for a vez de um jogador e ele não tiver a peça que encaixa, ele
deverá passar a vez para quem tiver.Vencerá quem encaixar todas as peças no jogo primeiro.


FORCA

O jogo é simples. Colocar na lousa as lacunas da palavra e desenhar a forca.

Consiste em adivinhar qual a palavra que está escondida. O aluno vai sendo enforcado aos poucos a cada letra que errar. Deve dizer as letras que acha que vão formar a palavra.
Duas modalidades do jogo:1) Jogo sem dica e sem tempo limite. Tem que adivinhar as letras para formar a palavra.2) Jogo com dica e com limite de tempo. A resposta é a palavra escondida. Se oferecer a dica da palavra, o aluno terá um limite de 2 minutos pra conseguir adivinhar.


ALFABETO ILUSTRADO
Promove a associação significativa entre imagem e palavra. Ideal para crianças em fase de alfabetização.
Material: Confeccione 23 palavras em cartões que fazem parte do vocabulário da criança e mais 23 cartões com o desenhos das palavras.
Como jogar: Para começar, os cartões devem ser virados com a face para baixo e embaralhados. Cada criança recebe 4 cartões e os demais ficam no monte. A cada rodada, o jogador compra uma carta no monte. Vence quem tiver o maior número de associações.



BINGO DE PALAVRAS
Material: cartela com palavras contextualizadas em sala de aula (nomes de pessoas, animais,
frutas, flores, brinquedos, etc.)
Como jogar:
Cada criança recebe uma cartela do bingo com nomes diversificados.
Colocar em uma sacola cartões com as letras do alfabeto.
Sortear uma letra. Quem tiver na cartela a letra sorteada vai marcando com
tampinhas ou sementes. Vence quem primeiro preencher a cartela.


JOGO DE RIMAS
Leva a criança a conhecer vários tipos de palavras que rimam entre si.
Material:
Lápis, papel e relógio
Como executar:
O professor proporá as crianças que escrevam o maior número de palavras que
tenham o mesmo som final (ex. balão, pavão, botão etc. )
Este jogo poderá ser individual ou em grupo.
O professor dará um tempo para as crianças terminarem a tarefa minutos.
No final a criança ou grupo, irá ler as palavras que conseguiram escrever.
Vence quem conseguir o maior número de palavras.


A PALAVRA É...
Material: Rótulos de produtos, fichas com palavras recortadas de jornais e revistas ou
palavras que fazem parte do conhecimento da criança.
Como jogar:
Colocar dentro de uma sacola, envelope ou caixa o rol de palavras significativas.
O aluno retira uma palavra e lê em voz alta. Ganha quem conseguir ler mais palavras.


PIF DE PALAVRAS
Os alunos em fase de alfabetização vão adorar este jogo em que o objetivo é montar palavras usando cartões com letras.
Material: Desenhe no papel branco 112 quadros de 3,5 por 3,5 cm. Neles, escreva quatro alfabetos completos. Faça ainda oito curingas, que podem ser usados no lugar de qualquer vogal. Esse número de cartas é ideal para três jogadores.
Como jogar: Para começar, as cartas devem ser viradas com a face para baixo e embaralhadas. Cada criança compra onze cartas e as demais ficam no monte. Vence quem primeiro formar três palavras usando as onze letras. Não importa o número de letras de cada palavra. A cada rodada, o jogador compra uma carta no monte. Se a letra se encaixar na palavra que está montando, a criança fica com ela e joga na mesa uma outra que tem em mãos, mas que não lhe serve. O próximo jogador pode pegar a letra descartada ou arriscar outra do monte. Caso o monte acabe antes que algum dos jogadores tenha conseguido seu objetivo, basta embaralhar as cartas que já foram viradas e colocá-las em jogo novamente.


Outros jogos aqui:
https://sites.google.com/site/atividadesdaprofaglauce/apostila-de-jogos-de-alfabetizacao

terça-feira, 29 de setembro de 2015

REESCRITA DE TEXTOS COLETIVA


 PROCEDIMENTOS:

 Escolha previamente um texto produzido por aluno que cumpra as seguintes condições:
-Esteja bom do ponto de vista da linguagem, com clareza na exposição das informações.
-Escolha um aspecto que queira trabalhar: ortografia, pontuação, segmentação, coerência, coesão etc.
Exemplo: Se o objetivo é trabalhar com a ortografia apresente um texto com erros ortográficos.


No início da aula, informe que os textos produzidos contem erros e comente que tais erros são esperados, já que os autores são alunos que ainda estão aprendendo a escrever. No entanto, como o texto ficará exposto no mural e será lido por quaisquer pessoas que circulem pela escola, é preciso corrigir os erros, de modo a facilitar sua leitura e manifestar respeito pelos futuros leitores.

Converse com os alunos, explicando que você escolheu um texto que está bem escrito, com ideias expostas de maneira clara e linguagem adequada. No entanto, foram cometidos erros tanto na escrita das palavras.

Todos vão ler, tentar apontar os erros e indicar as correções que você deve fazer no texto que está na lousa.

Leia o texto, linha por linha, e deixe sugerirem correções. Se apontarem erros ortográficos, peça-lhes que expliquem qual ou quais letras devem ser substituídas, acrescentadas ou suprimidas.

Ao ler cada linha, marque as alterações sugeridas pelos alunos e, se houver erros ortográficos que eles não perceberam, indique a palavra e diga para observarem com atenção, porque há algo errado.

Se ainda assim não descobrirem, dê a informação correta e faça a alteração necessária.

VEJA TAMBÉM:




segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Como trabalhar com a ortografia

Tradicionalmente, ensina-se ortografia – a maneira correta de grafar as palavras – apresentando e repetindo as regras ortográficas para a classe. Tudo se dá na base da decoreba.

Muitas regras ortográficas têm de ser mesmo decoradas. Mas isso não quer dizer que aprender a escrever certo seja um processo passivo.

É fundamental, para o trabalho do professor, que ele saiba quais palavras seus alunos usam frequentemente, pois eles apresentam suas hipóteses de como tais palavras devem ser escritas. A partir dessas suposições, levar o aluno a refletir sobre as possíveis alternativas de grafia e reconstruir as regras de ortografia das palavras.

Por outro lado, entender que a ortografia de algumas palavras não é definida por regras faz com que os alunos vejam a importância de consultar fontes como os dicionários e reconheçam a importância da memorização.

Veja um exemplo de atividade que leve o aluno a refletir sobre a regra ortográfica:




Veja também:


























Para adquirir entre no site:
https://sites.google.com/site/atividadesdaprofaglauce/apostila-de-ortografia-volume-ii

terça-feira, 28 de julho de 2015

Dinâmicas para a volta às aulas








TEIA DE ARANHA
Procedimentos:
  • Propor que os alunos fiquem em pé, forando um círculo.
  • Entregar um rolo de barbante ou cordão.
  • Solicitar um voluntário para iniciar a tarefa sugerindo que o mesmo escolha um membro do grupo para entregar uma outra parte do cordão e receber uma mensagem sua.
  • Sucessivamente um vai abrindo o rolo e entregando a um colega até que todos tenham recebido a mensagem e o cordão, formando assim a teia de aranha.
  • Em um segundo momento, com todos sentados levantar a questão: O que pode e não pode ter em nossa teia? Listar as opiniões dos alunos para a confecção de um painel de combinados da classe.
  • Para encerrar permitir que os alunos ilustrem o painel através de uma técnica artística: desenho, recorte, colagem, dobradura, etc...

ÁRVORE DOS SONHOS
Procedimentos:
Representar uma árvore no papel pardo ou cartolina; afixá-la no painel ou parede. Em cima da árvore, escrever uma pergunta relacionada com o assunto (pode ser sobre regras de convivência, o ambiente escolar etc) que será tratado durante o semestre. Ex.: Como gostaríamos que fosse...?
Cada criança receberá uma "folha da árvore" para escrever ou desenhar o seu sonho,o que a criança espera que "aconteça de melhor" para o assunto em questão. Depois, pedir para cada criança colocar sua folha na árvore dos sonhos e socializá-los.


A VIAGEM
Procedimento:
  • O professor afixa na parede da sala um painel com uma paisagem de fundo. No mesmo deve estar escrito: Bom retorno às aulas!
  • A proposta é construir um painel com o grupo.
  • O importante é que os alunos expressem seus sentimentos e desejos no painel com desenhos, dobraduras, frases etc.
  •  Com tudo pronto oportunizar um momento agradável onde cada um pode relatar o que construiu no painel interativo.

sábado, 25 de julho de 2015

Trabalhando o Folclore


Como trabalhar o folclore na alfabetização?
Trava-línguas, parlendas, quadrinhas, poemas, adivinhas e cantigas são textos da cultura oral apropriados para se trabalhar a aquisição da base alfabética e ortográfica; por serem de fácil memorização, geram atividades que favorecem a percepção de que é preciso corresponder ao falado ao escrito, além de brincar com o som, a forma gráfica e o significado das palavras.

Procedimentos:
1) Anunciar que vai ler um trava-língua ou uma parlenda ou uma quadrinha ou um poema ou uma cantiga . O professor deverá criar expectativas nos alfabetizandos com relação ao texto que irá ser trabalhado, fazendo as seguintes perguntas:
- Qual o tipo de texto que vamos ler? Para que serve? Onde pode ser encontrado? Registrar na lousa as respostas e fazer a comparação no final do trabalho.
2) Em seguida, perguntar aos alunos se eles sabem o que é uma --------.  Explicar as características do texto escolhido.

3) Apresentar para os alunos numa cartolina o texto ou escrevê-lo na lousa.

4) Ler o texto em voz alta, pausadamente e com entonação adequada.
5) Reler o texto apontando palavra por palavra. Em seguida, fazer a leitura coletiva apontando para cada palavra.

6) Distribuir texto xerocopiado e explicar o que se pede na atividade.


EXEMPLO DE ATIVIDADE COM QUADRINHA:



EXEMPLO DE ATIVIDADE COM CANTIGA:

EXEMPLO DE ATIVIDADE COM PARLENDA:

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Plano de aula: Dança para a Festa Junina


OBJETIVOS:
Desenvolver a expressão oral, o ritmo e a adição;
Trabalhar o equilíbrio e a coordenação motora;
Resgatar a coreografia tradicional da ciranda para preservar nossa cultura.

CONTEÚDO:

A LINDA ROSA JUVENIL

A linda Rosa juvenil, juvenil, juvenil,
A linda Rosa juvenil, juvenil.
Vivia alegre no seu lar, no seu lar, no seu lar,
Vivia alegre no seu lar, no seu lar.
Mas uma feiticeira má, muito má, muito má,
Mas uma feiticeira má, muito má
Adormeceu a Rosa assim, bem assim, bem assim,
Adormeceu a Rosa assim, bem assim.
Não há de acordar jamais, nunca mais, nunca mais,
Não há de acordar jamais, nunca mais.

O tempo passou a correr, a correr, a correr,
O tempo passou a correr, a correr.
E o mato cresceu ao redor, ao redor, ao redor,
E o mato cresceu ao redor, ao redor.
Um dia veio um belo rei, belo rei, belo rei,
Um dia veio um belo rei, belo rei
Que despertou a Rosa assim,
bem assim, bem assim,
Que despertou a Rosa assim, bem assim. 

RECURSOS:
CD com a música;
Cópias da música;
Vestimentas de rosa, feiticeira e rei para três crianças. As demais vestidas de flores ou com matinhos na mão.

PROCEDIMENTOS:

Distribuir cópias da música para os alunos acompanharem. 
Cantar com as crianças a música e verificar a compreensão do texto. 
Pedir para eles ilustrarem a música.
Explicar que a música é uma cantiga de roda e que eles vão dançá-la na Festa Junina.
Explicar a coreografia.
Organizar as crianças em roda. No centro fica a Rosa.  Outras duas crianças serão o rei e a feiticeira. 
Colocar o CD com a música.  
As crianças cantam a cantiga de roda representando alguns trechos.
Quando chegam ao verso "Adormeceu a Rosa assim...", a feiticeira entra no círculo e joga um feitiço na Rosa, que "dorme" deitando no chão. 
Ao cantarem "E o mato cresceu ao redor...", as que estão na roda mostram o mato crescido esticando os bracinhos sobre a Rosa. 
No final, a Rosa e o rei saltam ou fazem um corrupio mostrando o quanto estão felizes.

AVALIAÇÃO:
Será contínua, observando o interesse e a participação dos alunos..

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Sequência didática: Festa Junina- Trabalhando com receita





Procedimentos:

1º dia
1- Distribuir cópias do texto aos alunos. Colocar o texto na lousa. 
2 - Leitura compartilhada do texto. 
3 - Em seguida a professora pergunta aos alunos:
-  Que tipo de texto é este?
-  Para que serve este texto?
4- A professora combina de preparar a receita com os alunos no dia seguinte. Pergunta:
O que vamos precisar trazer para fazer a receita amanhã?
5- Registro do que cada um vai trazer.

2º dia
1- Leitura da receita para saber se tem todos os ingredientes. 
2 - Leitura da receita para prepará-la.
3- As crianças participam da preparação da receita. 
4- Depois de pronta é hora de saborear o doce.

Exemplo de receita para fazer com as crianças:

CAJUZINHO

INGREDIENTES:
1 QUILO DE AMENDOIM TORRADO E MOÍDO
1 LATA DE LEITE CONDENSADO
1 QUILO DE AÇÚCAR
6 COLHERES DE SOPA DE CHOCOLATE EM PÓ.

MODO DE FAZER:
MISTURE O AMENDOIM, O LEITE CONDENSADO E O CHOCOLATE EM UMA VASILHA. AMASSE E ENROLE EM FORMA DE CAJU. PASSE AÇÚCAR E COLOQUE UM PEDAÇO DE AMENDOIM NA PARTE ACHATADA.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Festa Junina - alfabetização


No mês de junho, aproveite para trabalhar com o tema da Festa Junina.
São muitas atividades que podem ser desenvolvidas na alfabetização e também com os alunos que já sabem ler e escrever, mas possuem dificuldades na leitura e escrita.

Para iniciar o tema, é necessário verificar os conhecimentos prévios dos alunos através de conversas e complementar com pesquisas sobre o assunto. É interessante registrar o que já sabem sobre Festa Junina, músicas, comidas típicas, brincadeiras, danças etc.

Pode-se trabalhar diversas atividades na alfabetização com as músicas juninas, dentre elas:

- ler no coletivo seguindo a música com o dedo;
- ler e procurar as palavras que a professora disser na música;
- a música fatiada (em versos) para colocar em ordem;
- o texto da música em lacunas para completar;
- a música com as palavras juntas para segmentá-las;
- escrita em duplas da música conhecida.


sábado, 9 de maio de 2015

Jogo da forca para a alfabetização


_____   _____   _____    ______   ______

Criar o espaço dos jogos e brincadeiras dentro da sala de aula possibilita ao professor fazer do ensino de alfabetização algo divertido, que prenda a atenção do aluno, levando-o a aprender brincando.

Existem vários jogos para alfabetizar, dentre eles: dominó, cruzadinhas, forca, bingo, trilha, loto etc. 

Um jogo bastante utilizado na alfabetização é a forca.

Como trabalhar com a forca em sala de aula?

MATERIAL:
O professor ou o aluno coloca na lousa as lacunas da palavra e desenha a forca.

Objetivos:
·       Desenvolver habilidades, tais como, memória, atenção, observação e raciocínio.
·       Refletir sobre a escrita de palavras, a partir de suas hipóteses.

Desenvolvimento:

Consiste em adivinhar qual a palavra que está escondida. O aluno vai sendo enforcado aos poucos a cada letra que errar. Deve dizer as letras que acha que vão formar a palavra.

Duas modalidades do jogo:
1)  Jogo sem dica e sem tempo limite. Tem que adivinhar as letras para formar a palavra.
2) Jogo com dica e com limite de tempo. A resposta é a palavra escondida. Se oferecer a dica da palavra, o aluno terá um limite de 2 minutos pra conseguir adivinhar.


👉 PARA QUEM TIVER INTERESSE, DISPONIBILIZO PARA A VENDA O KIT COM DIFERENTES JOGOS DE ALFABETIZAÇÃO. ENTRE NO MEU SITE: 



domingo, 3 de maio de 2015

Alfabetizando com cruzadinhas - Plano de aula

As cruzadinhas são atividades que colocam em foco a quantidade de letras necessárias para escrever uma palavra e também quais letras utilizamos em função do "cruzamento" das palavras. 
Por isso, é uma ótima atividade para alunos com hipótese de escrita silábica e silábico-alfabética, pois os instigam a refletir sobre quais e quantas letras utilizar nas escritas das palavras.
Para os alunos com hipótese de escrita alfabética, o desafio está na ortografia, ou seja, saber com quais letras escrever as palavras, considerando que muitos sons são grafados de diferentes formas, assim como várias letras representam sons diferentes. 
Para alunos com hipótese de escrita pré-silábica, a atividade terá desafio se puderem fazê-la com os alunos que já estão pensando na relação entre a escrita e a fala, considerando o valor sonoro. 


Plano de aula
TEMA: CONSTRUÇÃO DA BASE ALFABÉTICA

OBJETIVOS:
·        Que os alunos possam avançar na reflexão sobre o sistema de escrita.
·        Levantar questões ortográficas (alunos alfabéticos).

CONTEÚDO:
- Cruzadinhas com banco de palavras para os pré-silábicos e silábicos e sem o banco de palavras para os silábicos-alfabéticos e alfabéticos.

PROCEDIMENTOS:         
·        Explicar na lousa como preencher a cruzadinha;
·        Organizar os alunos em duplas, em função do que os alunos já sabem sobre a escrita. Ex: pré-silábicos com silábicos, silábicos com valor sonoro com silábicos sem valor sonoro, silábicos-alfabéticos com alfabéticos e alfabéticos com alfabéticos.
·        Socialização das respostas na lousa pelas duplas.

RECURSOS:
- Folha com a cruzadinha;
- Quadro negro.

AVALIAÇÃO:
Registro contínuo das observações dos alunos na execução da atividade.



Mais atividades aqui:


terça-feira, 28 de abril de 2015

Alfabetizando com parlendas e cantigas


Trabalhar com parlendas e cantigas é uma atividade muito divertida para os alunos.
Por isso, não deixe de ouvir e cantar com seus alunos as cantigas folclóricas e recitar as parlendas. Aproveite para brincar com eles de roda cantando, de amarelinha recitando parlendas, de brincadeiras que utilizem estes textos curtos.

As atividades de leitura de parlendas ou cantigas permitem que as crianças leiam antes de saber ler convencionalmente.
Desenvolvem habilidades que se referem à aquisição do código linguístico.

Objetivos:
- Estabelecer relação entre fala e escrita (alunos não alfabéticos).
- Refletir sobre o sistema de escrita (alunos não alfabéticos e alunos alfabéticos).


Procedimentos:
Brinque com os alunos até se certificar de que já saibam de cor.
Com o texto escrito na lousa e com cópias da letra da música, faça uma leitura da parlenda apontando onde você está lendo.
Distribua as cópias dos textos e solicite que acompanhem a sua leitura, cada um olhando para o próprio texto
Leia com seus alunos e peçam para eles acompanharem a leitura com o dedo. Faça pausas na leitura e verifique se eles estão acompanhando.
Peça para eles localizarem palavras no texto, pintando-as.
Para os alunos já alfabéticos, trabalhe a mesma atividade, mas focando a escrita, pedindo para eles escreverem o texto, pois o desafio para eles é colocar em jogo as questões ortográficas.

Exemplo de atividade:

Mais atividades aqui:
https://sites.google.com/site/atividadesdaprofaglauce/apostila-de-alfabetizacao-volume-ii

domingo, 26 de abril de 2015

Alfabetizando com listas

Leitura e Escrita de Listas

As listas são as primeiras formas expositivas de texto. O trabalho com listas favorece a aquisição da base alfabética; possibilita a reflexão entre as hipóteses de escrita do/a alfabetizando/a e a escrita convencional das palavras, promovendo o conflito cognitivo.


Objetivos:
. Favorecer a aquisição da base alfabética (dos alunos não-alfabéticos) e da base ortográfica (dos alunos alfabéticos).
. Possibilitar a escrita de textos em forma de lista e o reconhecimento o seu uso funcional.

Sugestões de atividades:

. Lista de nomes de animais, frutas, verduras, cores, plantas, objetos, brinquedos, brincadeiras, super-heróis, novelas, filmes, time de futebol, etc.

. Lista de nomes dos alunos da classe, da professora ou dos funcionários da escola.

. Lista de nomes dos alunos presentes ou ausentes; dos aniversariantes do mês.

. Listar as palavras dos textos trabalhados, classificando-as de acordo com: a primeira e última letra; número de letra e de sílaba, vogais e consoantes, primeiras e últimas sílabas.

Exemplo:


Mias atividades aqui:

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Atividade para Dia das Mães


Uma sugestão de trabalho com o tema mães é utilizar o livro "Se as coisas fossem mães" de Sylvia Orthof.

O livro pode ser o ponto de partida para iniciar uma conversa sobre as mães dos alunos e com o desenho das mães pode-se montar um lindo mural.

Outra dica é montar um livrinho "Se as coisas fossem mães" para que as crianças possam ilustrá-lo.




terça-feira, 14 de abril de 2015

PLANO DE AULA: Descobrimento do Brasil

Plano de aula: Descobrimento do Brasil: intencional ou não?”

Turmas: 4º e 5º anos

Objetivos:

Levar os alunos a pensarem sobre a História do Descobrimento do Brasil:

•             Investigar como se deu a "descoberta" do Brasil;
•             Confrontar diferentes opiniões de historiadores, sobre o tema em estudo;
•             Defender uma posição fundamentada.

Conteúdo:
Textos sobre a Descoberta do Brasil.

Procedimentos:

Levantar a seguinte questão:
Você acredita que o Brasil foi descoberto?

Escrever na lousa quais são as hipóteses dos alunos sobre esta questão.

O professor levará para a sala de aula pequenos textos e formará grupos de alunos. Cada grupo terá que defender a ideia do texto que recebeu como se estivesse em um tribunal. 

Para concluir reler as hipóteses dos alunos e confrontá-las com as informações dos textos defendidos.

Avaliação:
Deve ser contínua observando o interesse e a participação dos alunos.  


Textos:









Fonte: textos retirados da internet

Mais atividades você encontra na Apostila:


domingo, 5 de abril de 2015

Sequência didática: Contação de história

  Objetivos gerais:

Despertar o gosto pelas histórias infantis.
Apropriar-se de sua identidade.


Objetivos específicos:


Desenvolver a criatividade confeccionando um espelho mágico;
Desenvolver a atenção, raciocínio e a imaginação;
Expressar-se oralmente.

Conteúdo:
- Livro com a história "Branca de Neve e os sete anões".

Áreas do conhecimento: Português

Tempo estimado: 4 a 5 dias


Materiais:
- Um espelho grande;
- Cartolinas brancas;
-Tintas guache de várias cores;
- Livro e CD da história;
-Cópias de espelho em uma folha de sulfite;
-Espelhos de rosto menores.

Desenvolvimento:

                1º momento

·     Confeccionar um espelho “mágico”:
A professora irá fazer uma moldura para um espelho grande com cartolina branca. As crianças vão participar pintando a moldura do espelho com tinta guache.

2º momento

·         Com o espelho pronto a professora irá dizer que o espelho é mágico e se alguém gostaria de dizer alguma coisa para ele. Pode ir até o espelho uma ou duas crianças por vez.

·         Sentados em círculo, a professora vai perguntar se eles conhecem alguma história que aparece um espelho mágico.

·         Os alunos ouvirão a história A BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES contada pela professora que irá mostrar o livro durante a leitura.

·      Conversa sobre a história.

     3º momento

·         Com a frase “ Espelho, espelho meu...” os alunos poderão conversar com o espelho, reinventando a história. Pode-se também fazer dramatizações.

     4º momento

·         Com cópias de um espelho na folha, as crianças vão desenhar o rosto no espelho. Para isso, elas vão se olhar em espelhos menores.

.         Montar um mural com os autorretratos. Antes de colocarem o nome, pedir aos alunos para identificarem quem são as crianças dos retratos


Avaliação:
- Observação direta e contínua da participação e interesse dos alunos durante a realização das atividades.

Seguidores