VENDA DE APOSTILAS E PROJETOS

Como complemento ao meu trabalho neste blog, elaborei para venda diversas apostilas de atividades de alfabetização e projetos pedagógicos de variados temas indicados para professores que atuam em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Alfabetização de Jovens e Adultos (EJA).

Tenho também CDs de áudio para Educação Infantil e Fundamental I, cartazes em EVA e livros infantis.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR MEU SITE E FAZER SEU PEDIDO

Os interessados poderão também entrar em contato por email ou pelos telefones abaixo:

glaucerossi@terra.com.br

glaucerossi@gmail.com

glauce.rossi@hotmail.com

glaucerossi@bol.com.br

(11) 97574-9228 - Vivo

(11) 95248-7897 - Tim

Glauce ou Hugo no horário de atendimento das 9:00 às 20:00 de segunda à sexta-feira.

WhatsApp

(11) 95248-7897

Loja virtual

CADASTRO DE CONTATO

FACEBOOK

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

ESCRITA ALFABÉTICA

Após a produção dos alunos alfabéticos, que já leem e escrevem convencionalmente, mas que possuem muitos erros, como corrigir o texto destes alunos?

Em vez de considerar os erros como faltas, corrigindo-os um a um, procure olhar para a produção dos alunos como fonte de informação para pautar o planejamento do que ainda precisa ser ensinado.
Fazendo isso, é possível prever que, em breve, ao menos alguns desses erros deixarão de ser cometidos. E sem que o aluno perca algo que nos mostra já ter conquistado: a disponibilidade para produzir textos completos e coerentes.
Faça um levantamento dos principais erros dos alunos, que podem ser ortográficos, textos emendados, questões que precisam ser abordadas para que a turma escreva cada vez melhor, aproximando-se da escrita convencional.


Textos sem segmentação
Um fato freqüentemente observado pelos professores é a escrita das palavras emendadas, sem espaços entre elas.
Por que isso ocorre? Um primeiro aspecto a considerar é que a separação entre palavras é uma necessidade da linguagem escrita. Quando falamos, as palavras fluem, soam ligadas umas às outras. É só no contato com o texto escrito, muitas vezes pela leitura, que o aprendiz de escritor se dá conta de que é preciso separar as palavras com espaços.

Atividade para a separação de palavras:

Depois de ouvir o poema “Chatice”, de José Paulo Paes, lido por sua
professora, reescreva cada verso, observando a separação entre as
palavras. Os números entre parênteses indicam quantas palavras há em
cada verso.

JACARÉ (1) _________________________________________________
LARGADOMEUPÉ (4) _________________________________________
DEIXADESERCHATO! (4) ______________________________________
SEVOCÊTEMFOME, (4) ________________________________________
ENTÃOVÊSECOME (4) ________________________________________
SÓOMEUSAPATO, (4) ________________________________________
ELARGADOMEUPÉ, (5) ________________________________________
EVOLTAPROSEUMATO, (5) ____________________________________
JACARÉ! (1) ______________________________________________

sábado, 17 de outubro de 2015

PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA

O Projeto Consciência Negra, no mês de novembro, visa debater e refletir sobre as diferenças raciais e a importância de cada um no processo de construção de nosso país, estado e comunidade. 
São várias atividades para trabalhar o tema com alunos de 4º e 5º anos.














As atividades abaixo fazem parte do Projeto:
 _________________________________________________________________________________

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Feliz Dia dos Professores




















"FELIZ AQUELE QUE TRANSFERE O QUE SABE E APRENDE O QUE ENSINA."
                                                                   CORA CORALINA

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Projeto de leitura

















Reportagem publicada na Revista Profissão Mestre:

APRENDENDO COM OS SUSTOS

O conto é um dos formatos de literatura mais conhecidos e populares, por ser um texto mais curto e conciso, ideal para leitura rápida. Mesmo sendo de curta duração, os contos possibilitam que o leitor reflita sobre o que acabou de ler e aprenda com isso. Por essa série de fatores, esse gênero textual é indicado para o trabalho com crianças e jovens de várias idades.

Para desenvolver atividades com esse tema, Glauce Rossi Quilici, professora de Língua Portuguesa, elaborou um projeto que aborda um grupo específico de contos: os de assombração.

O projeto é voltado para alunos do 4º ano do ensino fundamental e tem duração prevista de sete aulas. Apesar de ser focado no trabalho com contos, o início das atividades acontece bem longe dos livros: na televisão. A educadora optou por começar as práticas exibindo o filme A noiva cadáver (2005), animação de Tim Burton baseada em um conto russo-judaico do século XIX. A exibição do filme tem como objetivo aproximar as crianças da temática, uma vez que, devido à faixa etária dos alunos (de 9 a 11 anos), seja possível que eles não tenham muito contato com o tema.

Após a exibição do filme, Glauce usou a história contada no longa-metragem para conversar com os alunos sobre como são os contos de assombração. Durante o bate-papo, a professora aproveitou para descobrir se os alunos já conheciam outras histórias com o mesmo terror e quais contos são conhecidos pelos estudantes. Em seguida, os alunos tiveram a tarefa de conversar com seus pais e familiares sobre os contos de assombração que são conhecidos por eles.

A etapa seguinte do plano de aulas é a conclusão das atividades do projeto e compreende a seleção das histórias mencionadas pelos alunos, que depois serão lidas e debatidas pela classe. “O objetivo do plano de aulas é  apropriar-se da linguagem escrita dos contos, especificamente dos de assombração afirma a professora Glauce, que destaca a boa aceitação das atividades pelos alunos. 

“Os alunos tiveram bastante interesse nas aulas, principalmente porque utilizei o vídeo como ponto de partida para inserir o tema”, conta. E completa: “a participação ativa e o desempenho dos alunos nas atividades propostas superou as minhas expectativas. “Mesmo depois dessas aulas, os alunos pediram para continuarmos lendo outros contos de assombração durante o ano letivo”, revela a educadora.















Projeto Contos de Assombração
Disciplina: Língua Portuguesa
Tema: Contos
Etapa de ensino: 4º ou 5ºano do ensino fundamental
Duração: 7 horas/aula
Recursos utilizados: livros de contos, filme A noiva cadáver (2005) e aparelho de TV.

Etapas do Plano de Aulas:
• Exibição do filme A noiva cadáver;
• Conversa sobre o filme e suas características;
• Levantamento de contos de assombração conhecidos pelos alunos;
• Entrevista sobre os contos de assombração com a família;
• Seleção pelos alunos dos contos que serão lidos;
• Leitura de contos de assombração selecionados;
• Conversa sobre as características do gênero.

Mais atividades:

sábado, 3 de outubro de 2015

Jogos para a alfabetização


DOMINÓ DE LETRAS 
Através desse jogo, crianças a partir de 5 anos aprendem a diferenciar letras maiúsculas e minúsculas do alfabeto.
Material:
Confeccionar 24 peças tipo dominó, uma parte com letra maiúscula e a outra com letra minúscula.
A primeira peça terá a mesma letra nas duas partes, porém as demais em peças diferentes.
Como jogar:
Poderão participar até 4 jogadores. Embaralhar as peças e dividir em número igual aos participantes. O primeiro a jogar será o jogador que tiver a peça A a.
O próximo será o jogador que tiver a peça com a letra “A” maiúscula.
Os Jogadores deverão encaixar sempre as letras minúsculas nas maiúsculas.
Sempre que for a vez de um jogador e ele não tiver a peça que encaixa, ele
deverá passar a vez para quem tiver.Vencerá quem encaixar todas as peças no jogo primeiro.


FORCA

O jogo é simples. Colocar na lousa as lacunas da palavra e desenhar a forca.

Consiste em adivinhar qual a palavra que está escondida. O aluno vai sendo enforcado aos poucos a cada letra que errar. Deve dizer as letras que acha que vão formar a palavra.
Duas modalidades do jogo:1) Jogo sem dica e sem tempo limite. Tem que adivinhar as letras para formar a palavra.2) Jogo com dica e com limite de tempo. A resposta é a palavra escondida. Se oferecer a dica da palavra, o aluno terá um limite de 2 minutos pra conseguir adivinhar.


ALFABETO ILUSTRADO
Promove a associação significativa entre imagem e palavra. Ideal para crianças em fase de alfabetização.
Material: Confeccione 23 palavras em cartões que fazem parte do vocabulário da criança e mais 23 cartões com o desenhos das palavras.
Como jogar: Para começar, os cartões devem ser virados com a face para baixo e embaralhados. Cada criança recebe 4 cartões e os demais ficam no monte. A cada rodada, o jogador compra uma carta no monte. Vence quem tiver o maior número de associações.



BINGO DE PALAVRAS
Material: cartela com palavras contextualizadas em sala de aula (nomes de pessoas, animais,
frutas, flores, brinquedos, etc.)
Como jogar:
Cada criança recebe uma cartela do bingo com nomes diversificados.
Colocar em uma sacola cartões com as letras do alfabeto.
Sortear uma letra. Quem tiver na cartela a letra sorteada vai marcando com
tampinhas ou sementes. Vence quem primeiro preencher a cartela.


JOGO DE RIMAS
Leva a criança a conhecer vários tipos de palavras que rimam entre si.
Material:
Lápis, papel e relógio
Como executar:
O professor proporá as crianças que escrevam o maior número de palavras que
tenham o mesmo som final (ex. balão, pavão, botão etc. )
Este jogo poderá ser individual ou em grupo.
O professor dará um tempo para as crianças terminarem a tarefa minutos.
No final a criança ou grupo, irá ler as palavras que conseguiram escrever.
Vence quem conseguir o maior número de palavras.


A PALAVRA É...
Material: Rótulos de produtos, fichas com palavras recortadas de jornais e revistas ou
palavras que fazem parte do conhecimento da criança.
Como jogar:
Colocar dentro de uma sacola, envelope ou caixa o rol de palavras significativas.
O aluno retira uma palavra e lê em voz alta. Ganha quem conseguir ler mais palavras.


PIF DE PALAVRAS
Os alunos em fase de alfabetização vão adorar este jogo em que o objetivo é montar palavras usando cartões com letras.
Material: Desenhe no papel branco 112 quadros de 3,5 por 3,5 cm. Neles, escreva quatro alfabetos completos. Faça ainda oito curingas, que podem ser usados no lugar de qualquer vogal. Esse número de cartas é ideal para três jogadores.
Como jogar: Para começar, as cartas devem ser viradas com a face para baixo e embaralhadas. Cada criança compra onze cartas e as demais ficam no monte. Vence quem primeiro formar três palavras usando as onze letras. Não importa o número de letras de cada palavra. A cada rodada, o jogador compra uma carta no monte. Se a letra se encaixar na palavra que está montando, a criança fica com ela e joga na mesa uma outra que tem em mãos, mas que não lhe serve. O próximo jogador pode pegar a letra descartada ou arriscar outra do monte. Caso o monte acabe antes que algum dos jogadores tenha conseguido seu objetivo, basta embaralhar as cartas que já foram viradas e colocá-las em jogo novamente.

Seguidores