VENDA DE APOSTILAS E PROJETOS

Como complemento ao meu trabalho neste blog, elaborei para venda diversas apostilas de atividades de alfabetização e projetos pedagógicos de variados temas indicados para professores que atuam em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Alfabetização de Jovens e Adultos (EJA).

Tenho também CDs de áudio para Educação Infantil e Fundamental I, cartazes em EVA e livros infantis.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR MEU SITE E FAZER SEU PEDIDO

Os interessados poderão também entrar em contato por email ou pelos telefones abaixo:

glaucerossi@terra.com.br

glaucerossi@gmail.com

glauce.rossi@hotmail.com

glaucerossi@bol.com.br

(11) 97574-9228 - Vivo

(11) 95248-7897 - Tim

Glauce ou Hugo no horário de atendimento das 9:00 às 20:00 de segunda à sexta-feira.

WhatsApp

(11) 95248-7897

Loja virtual

CADASTRO DE CONTATO

FACEBOOK

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Feliz 2017!


domingo, 20 de novembro de 2016

Natal - Plano de Aula

Plano de aula

OBJETIVOS:
- Escrever um cartão reconhecendo a função do texto.
- Identificar, com o auxílio do professor, elementos da organização interna do cartão.

PROCEDIMENTOS:
- Combinar com os alunos a confecção de cartões para os colegas. Estes serão criados primeiramente no rascunho e, depois serão revisados, passados a limpo.
 - Conversar sobre os elementos organização interna do cartão.
- Fazer o sorteio do tipo “amigo-oculto”, para que nenhum aluno fique sem um cartão.
- Escrita do cartão pelo aluno para o colega sorteado.
- Revisão do texto com ajuda do professor.
- Escrever o envelope.

 RECURSOS:
- Cartão, lápis, borracha.

AVALIAÇÃO:
Avaliação contínua observando a participação e o interesse dos alunos.

CARTÃO (CLIQUE NA IMAGEM ANTES DE SALVAR)



sábado, 5 de novembro de 2016

Atividade para alunos com dificuldades na alfabetização

Chegando ao final do ano o que fazer com os alunos que  ainda não avançaram em suas hipóteses de escrita?  

Para facilitar o aprendizado destes alunos:

- Verifique em qual fase da escrita o aluno se encontra. Muitas vezes temos dúvidas com relação a fase de escrita do aluno. Leia mais, peça ajuda, pesquise..., precisamos nos atualizar. Faça a sondagem da escrita novamente e tenha certeza da fase da escrita que a criança se encontra.

- Utilizando atividades com um tema específico que agrade a criança e desafie seus alunos a pensarem sobre a escrita.

Exemplo de atividade:

Propor desafios:

Explique como fazer a atividade. Para isso os alunos devem contar quantas letras tem a palavra e procurá-la no banco de palavras (abaixo da cruzadinha).

Para os alunos pré-silábicos é importante eles perceberem que para cada palavra existe um certo número de letras. Com a cruzadinha, ele vai ter que buscar uma palavra com 5 letras, por exemplo.

Para os alunos silábicos, eles precisam observar que não basta usar uma letra para cada sílaba, como exemplo, UA para BRUXA. Com a cruzadinha eles precisam verificar quantas letras tem cada palavra. É essencial que eles leiam a palavra mostrando com o dedo.

Para os silábicos-alfabéticos e alfabéticos dê a cruzadinha sem o banco de palavras. Eles vão colocar em jogo a ortografia de cada palavra.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

SORTEIO - MÊS DO PROFESSOR

Para comemorar o Mês do Professor, farei o sorteio de um Kit Especial. 

PARA PARTICIPAR, ENTRE NO FACEBOOK NO GRUPO "PAIXÃO ALFABETIZAÇÃO" E SIGA AS INSTRUÇÕES.



sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Planos, atividades, sequências ou projetos?


Para preservar o sentido do conteúdo, evitar sua fragmentação e distribuir os temas em função do tempo de aprendizagem, o ensino pode ser organizado de acordo com as chamadas modalidades organizativas. Abaixo, você confere um resumo sobre cada uma das modalidades: 

Plano de aula Forma de organizar a aula com foco numa atividade específica (leitura de um texto, resolução de um tipo de problema matemático etc.). Como dura apenas uma aula, costuma ser usado para apresentar um conteúdo ou explorar um detalhe dele. 

Atenção Não se esqueça de incluir uma atividade diagnóstica inicial (para verificar os alunos sabem sobre o assunto) e uma avaliação final (para indicar o que aprenderam). 

Atividade permanente Também chamada de atividade habitual, é realizada regularmente (todo dia, uma vez por semana ou a cada 15 dias). Ela serve para construir hábitos e familiarizar os alunos com determinados conteúdos. Por exemplo: a escrita de parlendas e de listas, semanalmente.

Atenção Ao planejar esse tipo de tarefa, é essencial saber o que se quer alcançar, que materiais usar e quanto tempo tudo vai durar. Vale sempre contar para as crianças que a atividade em questão será recorrente. Com o tempo, os alunos passam a prever a atividade que será proposta, de tão habituados. 

Sequência didática Conjunto de propostas com ordem crescente de dificuldade. O objetivo é focar conteúdos particulares (por exemplo, a regularidade ortográfica) numa ordenação com começo, meio e fim. Em sua organização, é preciso prever esse tempo e como distribuir as sequências em meio às atividades permanentes e aos projetos. 

Atenção É comum confundir essa modalidade com o trabalho do dia a dia. A questão é: há continuidade? Se a resposta for não, você está usando uma coleção de atividades com a cara de sequência. 

Projeto didático Reunião de atividades que se articulam para a elaboração de um produto final forte, em que podem ser observados os processos de aprendizagem e os conteúdos aprendidos pelos alunos. Costuma partir de um desafio ou situação-problema. Trabalhados com uma frequência diária ou semanal, podem estender-se por períodos relativamente prolongados (um ou dois meses, por exemplo), tornando os alunos especialistas num determinado tema. 

Atenção O erro mais comum é um certo descaso pelo processo de aprendizagem, com um excessivo cuidado em relação à chamada culminância (a elaboração do produto final).


fonte: Revista Nova Escola

domingo, 11 de setembro de 2016

Jogos e brinquedos de sucata


Uma boa sugestão para o dia das crianças é  confeccionar jogos e brinquedos juntos, utilizando materiais descartáveis e reciclados, como garrafas pet, caixas de papelão, bolas de meia etc. Algumas ideias:

- Vai-e-vem: para esse brinquedo você vai precisar do bico de duas garrafas pet de 2 litros. Depois, usando somente a parte do bico, encaixe uma na outra. Decore como quiser. Pegue duas cordas de nylon, aquelas usadas para varal, e passe-as dentro das garrafas, de um bico para o outro. Nas pontas amarre tocos de madeira, que podem ser cortados de cabos de vassoura.

 - Ioiô : corte o fundo de duas garrafas pet de 600 ml, deixando-os com 3cm de altura. Pegue um papel colorido e embrulhe um tanto de areia, fazendo um pacotinho que caiba dentro das duas partes juntas. Emende-as colando com fita adesiva e enfeite como quiser. Amarre o anel do refrigerante na ponta de um pedaço de lastex (elástico bem fininho) e a outra ponta amarre na bola, passando mais fita crepe por cima. Coloque o anel no dedo de faça movimentos descendo e subindo a bola que deve voltar e bater na mão para pegar mais embalo.

- Boliche: você vai precisar de 12 garrafas pet de 600ml. Pegue dez garrafas e enfeite-as como quiser. Usando as outras duas garrafas, monte uma bola, cortando os fundos das garrafas e emendando-os com fita crepe. Organize as garrafas no chão em forma de triângulo e marque a distância para arremessar a bola, fazendo uma linha no chão, usando fita crepe. É só arremessar e tentar derrubar as garrafas.

- Pegue a bola: para esse brinquedo você vai precisar de duas garrafas pet de 2 litros. Corte a parte do bico, deixando mais um pedaço de uns 5cm, para que a bola pare lá dentro. Decore as partes como quiser. A bola pode ser feita com uma meia calça feminina (já usada e furada). Dispostos frente a frente, a uma distância de uns três metros, um jogador arremessa a bola e o outro deve pegá-la com a caçapa.        


- Bilboquê: pegue um rolinho de papel higiênico e decore-o como quiser. Faça uma bolinha de jornal, amarre-a com um barbante de uns 60 cm de comprimento, cubra com fita crepe, pinte e deixe secar. Depois de seca, amarre a outra extremidade do barbante na borda do rolinho. Depois é só segurar o rolinho e jogar a bolinha para cima, tentando encaixá-la no buraco do mesmo. 

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Gincana Dia das Crianças



Desenvolvimento:
Dividir os alunos igualmente em 4 equipes com as cores: verde, vermelho, azul e amarelo.
Enviar o bilhete abaixo para os alunos:

Nome_______________

Não se esqueça......Agende!!!
O quê? – Uma tarde em sua homenagem.
Quando? ______________________
Onde? – No Colégio _______________
Como? – Esteja alegre, sorridente, sem lanche, nem material
e com uma roupa ou alguma peça (boné, tiara, faixa, etc.)
na cor _______________
Por quê? – Você vai se divertir a valer com a equipe dessa cor...

Até lá e um abraço,
As Professoras


Sugestão de tarefas a serem desenvolvidas no dia da gincana:

Corrida de patins: escolher um número de alunos de cada equipe, seis, por exemplo e entregar um par de patins para cada equipe; com os corredores em fila, dar um sinal para que o primeiro da fila calce os patins e saia correndo e vá até um ponto previamente marcado e volte, dê os patins para o próximo corredor que dará seqüência à competição. Vence a equipe que for a mais rápida.

Chute a gol: escolher um número de alunos de cada equipe, seis, por exemplo. A um sinal dado um competidor de cada equipe tenta acertar o gol, numa mini trave que deverá ser previamente providenciada. Vence a equipe que marcar mais gols.

Montar um quebra-cabeça: a cada equipe é dado um quebra-cabeça, de preferência um grande, para que montem em uma equipe de 4 alunos. Vence a equipe que montar primeiro.

Campeonato de bambolê: escolher um número de crianças de cada equipe para competir quem fica mais tempo rodando o bambolê. A competição dura até que só fique uma crinaça com o bambolê e dará o ponto para a equipe dela.

Estátua: colocar uma música para tocar enquanto as crianças dançam; e ao para a música todos devem parar na posição em que está. Quem mexer sai. E a brincadeira dura até que fique de 1 a 3 participantes e dará ponto para a equipe (nesta brincadeira participa um número bem grande de crianças).

Dança das cadeiras: Faz-se uma roda de cadeiras e outra de pessoas. Sendo que o número de cadeiras deve ser sempre um a menos. Toca-se uma música animada. Quando a música parar, todos devem sentar em alguma cadeira. Quem não conseguir sentar, é eliminado e tira-se mais uma cadeira. Ganha quem sentar na última cadeira.

Estoura bexigas: Em fileiras, cada jogador terá uma bexiga que deverá estourá-la em um colchão no lugar selecionado. Ganha a equipe que estourar todas as bexigas primeiro.
Corrida dos sacos: Cada criança deve entrar dentro de um saco de linhagem e amarrá-lo na cintura. É uma corrida de ida e volta. Na ida, vai de frente. Na volta, vem de costas. Se cair, levanta e continua. Ganha quem chegar primeiro.

Pontue também a equipe mais animada, a que melhor se comportou etc. Isso garante a organização do trabalho e trabalha o espírito esportivo, o respeito às regras, etc.

Essas são apenas algumas atividades. Fica a critério dos organizadores o número de tarefas e quais devem ser desenvolvidas. É importante dar oportunidade para todos participarem. Premiar a equipe campeã com medalhas, ou dar sacolinha surpresa, ou sorvete para todos.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Lembrancinhas Dia da criança e Dia do professor

















PARA ADQUIRIR, ENTRE EM CONTATO POR EMAIL, TELEFONE OU WHATSAPP INFORMANDO A QUANTIDADE DE LEMBRANCINHAS QUE DESEJA E SEU ENDEREÇO PARA CÁLCULO DO FRETE.
EMAIL: glaucerossi@terra.com.br
Telefone Vivo: (11) 97574-9228
Telefone Tim e WhatsApp: (11) 95248-7897

domingo, 7 de agosto de 2016

DIA DOS PAIS

Aproveitando as Olimpíadas, trago uma sugestão de lembrancinha  para o Dia dos Pais:


Medalha de Pai Herói

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Folclore - Plano de aula

Objetivos:
Resgatar os valores culturais.
Despertar nos alunos o interesse pela leitura e escrita.
Proporcionar aos alunos o conhecimento da riqueza cultural do folclore.
Desenvolver a linguagem oral e escrita, como também a criatividade.

Conteúdo: Livro: "O meu livro de adivinhas"

Desenvolvimento:
-A professora perguntará à turma se sabem o que são adivinhas. Após ouvir as respostas explicar que adivinhas são perguntas em formato de charadas desafiadoras que fazem as pessoas pensarem e se divertirem. São criadas por indivíduos de diferentes localidades e fazem parte da cultura popular e do folclore brasileiro. São muito comuns entre as crianças, mas também fazem sucesso entre os adultos.
-Apresentação e comentários do  livro:


-Enquanto a professora for lendo o livro, as crianças terão que adivinhar as respostas de cada adivinha.
-Atividade escrita (alfabetização):




Avaliação: Registro contínuo das observações dos alunos na participação e na execução da atividade.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

terça-feira, 28 de junho de 2016

MÚSICAS INFANTIS



Aqui estão algumas das letras de músicas do CD do ABC e do CD de músicas de Matemática:

Alfabeto
ABCDEFG (parar)
HIJLMNOPQ(parar)
RSTUVXZ (parar)
Vamos aprender nosso ABC.(bis)

Nomes dos alunos:
O A é uma letra que faz parte do ABC(bis)
Oh, Ana, você não sabe como eu gosto de você!
O B é uma letra que faz parte do ABC(bis)
Oh, Beatriz, você não sabe como eu gosto de você!
Continuando com todos as letras seguindo a ordem do alfabeto.

Os números
Número 1, número 1
Vamos começar assim
Faz tumtum tatá
Faz tatá tumtum
É mais falta alguém aqui.
Número 2, número 2
Ele vem depois do 1
Faz tumtum tatá
Faz tatá tumtum
É mais falta alguém aqui.
Número 3, número 3
Ele vem depois do 2
Faz tumtum tatá
Faz tatá tumtum
É mais falta alguém aqui.
Número 4, número 4
Ele vem depois do 3
Faz tumtum tatá
Faz tatá tumtum
É mais falta alguém aqui.
Número 5, número 5
Ele vem depois do 4
Faz tumtum tatá
Faz tatá tumtum
Já é hora de partir.

As vogais
A... A... A...Minha abelhinha,
A... A... A...Minha abelhinha
Ai, que bom seriasSe tu fosses minha! (bis)
E... E... E...Minha escovinha
E... E... E...Minha escovinha
Quem te pôs as mãos
Sabendo que és minha! (bis)
I... I... I… índio já chegou.
I... I... I… índio já chegou.
Correndo pro bosque
Ele se mandou! (bis)
O... O... O...Óculos da vovó
O... O... O...Óculos da vovó
Todo quebradinho
Com uma perna só! (bis)
U... U... U...Seu urubu
U... U... U...Seu urubu
Que vive brigando
com o seu peru! (bis)

As vogais
O sapo não lava o pé
não lava porque não quer
ele mora lá na lagoanão lava o pé
porque não quermas que chulé!
A sapa na lava a pá
Na lava parca na cá
Ala mara lá na lagaa
Na lava a pá
Parca na cá
Mas ca chalá!
E sepe ne leve e pe
Ne leve perque ne que
Ele mere ne lê leguee
Ne leve e pe perque ne que
Mes que chelé!
I sipi ni livi i pi
Ni livi pirqui ni qui
Ili miri ni li liguii
Ni livi i pi
Pirqui ni qui
Mis qui chili!
O sopo no lovo o pó
No lovo porco no co
Olo moro no lo logoo
No lovo o pó
Porco no co
Mos que choló!
U supu nu luvu u pu
Nu luvu purcu nu cu
Ulu muru nu lu luguu
Nu luvu u pu
Purcu nu cu
Mus cu chulú!

terça-feira, 21 de junho de 2016

Olimpíadas 2016




































O Kit Olimpíadas 2016 contém um projeto com capa, justificativa, objetivos, conteúdo, procedimento, culminância, avaliação, bibliografia e 120 atividades variadas de 1º ao 5º ano, além de arquivos para imprimir que incluem dois calendários, dois alfabetos ilustrados, números ilustrados, bandeiras dos países, jogo da memória e livro para colorir.
O Kit tem o valor de R$ 20,00 para envio em um CD pelo correio ou R$ 15,00 para envio em arquivos por email.
Contato: glaucerossi@gmail.com

quinta-feira, 16 de junho de 2016

PROJETO AMIGO LIVRO


O  PROJETO AMIGO LIVRO incentiva o gosto pela leitura já que a criança leva o livro para casa favorecendo um maior contato dela com o livro.


JUSTIFICATIVA:

As histórias estão presentes em nossa cultura há muito tempo e o hábito de contá-las e ouví-las tem inúmeros significados. Está relacionado ao cuidado afetivo, à construção da identidade, ao desenvolvimento da imaginação, à capacidade de ouvir o outro e à de se expressar. Além disso, a leitura de histórias aproxima a criança do universo letrado e colabora para a democratização de um de nossos mais valiosos patrimônios culturais: a escrita.
Por isso, é importante favorecermos a familiaridade das crianças com as histórias e a ampliação de seu repertório. Isso só é possível por meio do contato regular dos pequenos com os textos, desde cedo, e de sua participação freqüente em situações diversas de conto e leitura.
Assim, o livro deve ser mostrado com dimensão do prazer e da alegria, para que o aluno perceba que ler é uma viagem maravilhosa e não apenas mais uma das atividades de escola.


OBJETIVOS:

• Incentivar a leitura e o contato com os livros desde cedo.

• Fazer com que construam o hábito de ouvir e sentir prazer nas situações que envolvam a leitura de histórias.

• Familiarizá-los com histórias e ampliar seus repertórios.

• Levá-los ao cuidado no manuseio de livros.

• Proporcionar o uso da biblioteca da escola, favorecendo a circulação de livros.

• Tornar a leitura um ato prazeroso.

• Possibilitar a integração dos pais com os filhos através do projeto de leitura, para que se torne um hábito familiar.

CONTEÚDOS:

a) Conceituais: Construir critérios próprios para selecionarem o livro que vão levar.

b) Procedimentais: Utilizar a sala de leitura na escolha de livros.

c) Atitudinais: Permitir que as crianças construam o hábito de ouvir e ler histórias. Conscientizar-se da importância da preservação dos livros.


PROCEDIMENTOS:

No final de semana os alunos levarão a sacolinha com o livro para casa. Com a ajuda dos pais terão dois dias para lerem história do livro. No início da semana os livros deverão ser devolvidos à sala de leitura.


AVALIAÇÃO:

Ocorrerá durante todo o processo, a partir da observação direta das atitudes do aluno-leitor.


PARA ADQUIRIR O PROJETO 
ENTRE EM CONTATO ATRAVÉS DO EMAIL 
glaucerossi@terra.com.br



segunda-feira, 13 de junho de 2016

Projeto Amigo Livro



PARA ADQUIRIR O PROJETO OU AS SACOLINHAS, 
ENTRE EM CONTATO ATRAVÉS DO EMAIL 
glaucerossi@terra.com.br
INFORME TAMBÉM SEU CEP E A QUANTIDADE SACOLINHAS QUE DESEJA

terça-feira, 7 de junho de 2016

BRINCADEIRAS INFANTIS

1   
 1.            Contrário
Uma criança é escolhida no grupo por fórmula de escolha. Ela ordena para as demais: "- Andem para a frente"  E elas deverão andar para atrás, executando as ordens sempre ao contrário. As crianças que forem errando irão sendo excluídas. A última que ficar será a que irá dar as próximas ordens para que a brincadeira prossiga.

2.            Boca-de-forno
 Uma criança para iniciar a brincadeira, sendo o Mestre no centro da roda. Ela começa o jogo dizendo: - Boca de forno? Todos respondem: - Forno! - Tira bolo? Todos respondem:- Bolo! - Farão tudo que seu mestre mandar? Todos repetem:- Faremos todos ! - E se não fizer ? Respondem: - Ganharemos bolo ! - Vai ali, vai ali e faz...
 A frase era completada com a ordem de executar uma ação qualquer a certa distância, como: beijar um poste, dar "boa noite" a alguém que estivesse à janela, trazer um objeto. As crianças partem em direção ao alvo, cumprem a tarefa proposta pelo Mestre e voltam em disparada, pois o último que chegar leva bolos e fica na espera. Antes de aplicar o bolo o Mestre pergunta: - Que tipo de bolo vou dar nesse aqui? E quantos ? E todos dão palpites. Mas o mestre diz a palavra final.

3.            Alfândega
Uma criança sai da sala. Escolhe-se uma criança que irá inventar uma regra e dizer para os colegas, como por exemplo: só passa de for algo que voa. Chama o colega que está fora da sala e pergunta: O que passa? Este vai dizendo,  por exemplo,  gato (as crianças dizem não passa), vaca (as crianças dizem não passa), até ele dizer o nome de algum animal que voa. A finalidade da brincadeira é descobrir qual foi a regra dada inicialmente.

4.            Peixinhos e tubarões
 Separados em dois times, deverão formar o time dos peixinhos e dos tubarões. No momento em que tocar uma música baixinho, os peixinhos saem para passear. Quando tocar uma música alta, os tubarões saem para tentar pegar os peixinhos, que deverão voltar correndo. O peixinho que for pego vira tubarão.

5.            Elefantinho colorido
As crianças ficam em roda e uma delas fala: __ Elefante colorido! Os outros perguntam: __ De que cor ele é? A criança deverá escolher uma cor e as outras deverão tocar em algo que tenha esta cor. Se não achar esta cor o elefantinho irá pegá-lo.

6.            Subi na Roseira
Duas crianças batem a corda e outras duas começam a pular e vão falando uma para outra: Ai, ai... O que você tem? Saudades. De quem? Do cravo, da rosa e de mais ninguém. Subi na roseira, desci pelo galho, fulano (fala um nome) me acuda, senão eu caio. Sai quem recitou e entra quem foi chamado.

7.            Meu boneco de lata
Cantam: Meu boneco de lata bate com a testa no chão, levou mais de uma hora para fazer transformação... Desamassa aqui para ficar bom! Meu boneco de lata bateu com a orelha no chão levou mais de duas horas para fazer transformação... Desamassa aqui, desamassa aqui pra ficar bom! (Enquanto o grupo canta vai colocando a mão no lugar do corpo onde o boneco bateu e vai repetindo as anteriores).

8.            Batata quente
Todos em roda, sentados no chão, com um objeto na mão vai passando e cantando a seguinte canção: _ Batata que passa quente, batata que já passou, quem ficar com a batata, coitadinho se queimou! Quando disser queimou, a pessoa que estiver com o objeto na mão, sai da roda.

9.            Cobrinha
 Duas crianças seguram a corda perto do chão e começam a fazer ondulações. Três crianças começam a pular, quem tocar esbarrar na corda sai da brincadeira. Se uma sair entra outra no seu lugar. Vence quem conseguir ficar pulando mais tempo.

10.          Estátua 
 Faz-se uma roda e todos vão rodando de mãos dadas e cantando a seguinte canção: “A casinha da vovó, cercadinha de cipó, o café tá demorando, com certeza não tem pó! Brasil! 2000! Quem mexer saiu!”.  Todos ficam como estátua e não vale rir, nem se mexer, nem piscar, nem se coçar, quem será que vai ganhar?

11.          Caixinha de surpresas
Antes de iniciar o jogo, escreve-se em papeizinhos várias tarefas engraçadas. Coloca dentro de uma caixinha. Sentados em círculo, a caixinha irá circular de mão em mão, até a música parar. Quem estiver com a caixinha na mão no momento que a música parar deverá tirar um papel da caixinha e executar a tarefa. Continua até acabar os papeis.

12.          Foguinho
Duas crianças segurando a corda começam a bater e falar: Salada, saladinha Bem temperadinha Com sal, com pimenta Fogo, foguinho. Enquanto isso uma criança está pulando na corda. Ao pronunciar a palavra foguinho deverão girar a corda bem rápido. Quem conseguir pular mais rápido, sem esbarrar na corda,  será o vencedor.

sábado, 4 de junho de 2016

Jogos infantis


CONSIDERAR: Que as crianças estão estabelecendo contatos entre si e sentindo-se parte do grupo através do estabelecimento das próprias regras, como exemplo: quem começa, de quem é a vez, quanto tempo cada um tem, quem ganha e quem perde...

DICAS: Observar se as regras estabelecidas foram compreendidas por todos e garantir que aqueles que perdem o interesse na brincadeira possam brincar de outra coisa.


JOGOS DE FAZ-DE-CONTA

Envolvem a representação e a elaboração de papéis (como, por exemplo, médico,
feirante, manicure...); brincadeiras de escolinha ou de casinha quando a criança pode assumir diversos papéis; brincadeiras de teatro, mímica, fantoches.

CONSIDERAR: Que este é o espaço para imitar, fantasiar e simular acontecimentos.

DICAS: Estas brincadeiras são muito ricas e o adulto deve evitar intervenções. Uma conversa com o grupo após a brincadeira, deixando-os à vontade para descrever (ou não) os papéis e as situações representados, tendem a ser experiências muito ricas.

JOGOS DE CONSTRUÇÃO

Acontecem quando as crianças usam, transformam objetos e materiais variados
(blocos ou sucatas, por exemplo) e criam novos produtos (parque de diversões, fazenda, engenhocas...)

CONSIDERAR: Nestes jogos as crianças começam a entrar em contato com o mundo social e a desenvolver níveis mais complexos de inteligência através do desenvolvimento de suas ou não se concretizar. Estes jogos também possibilitam maiores oportunidades de cooperação entre as crianças.

DICAS: Para estes jogos devemos considerar a faixa etária aproximada da criança e observar se ela consegue, a seu modo, participar da brincadeira. É necessário que haja uma relação saudável entre o erro e o acerto, sem que a criança se sinta desestimulada a brincar. Não devemos esperar que ela brinque por horas a fio com estes materiais. Ela determina seu tempo. Fique atento para auxiliá-la com
a solução de problemas, mas não tenha expectativas pautadas no modelo adulto.


JOGOS DE REGRAS

São aquelas brincadeiras que combinam aspectos motores-exploratórios
(movimento corporal e sensações) e/ou aspectos intelectuais, com competição dos jogadores e regras pré-estabelecidas.

CONSIDERAR: Os jogos de regras começam a ser explorados pelas crianças, geralmente, entre os 4 e 7 anos. Pega-pega, futebol, jogo do lenço-atrás são alguns exemplos. O xadrez, dama, dominó e jogos de percurso são exemplos da outra forma de combinação. Esses jogos também auxiliam no desenvolvimento das regras sociais. Quando as crianças são submetidas às regras do
jogo, elas vivenciam tais regras transpondo-as para outras situações e brincadeiras.

DICAS: É importante que as regras sejam apresentadas aos participantes antes do início do jogo de forma clara. Elas devem ser mantidas, tornando-se um desafio aos jogadores. Observar se todos entenderam as regras, se sugerem variações deste mesmo jogo com novas regras e se desejam batizar este novo jogo com nomes escolhidos pelo grupo.


JOGOS COOPERATIVOS

O importante é... que todos participem, aproveitem , aprendam, deleitem-se.

CONSIDERAR: O individualismo e a riqueza material tornaram-se mais importantes para o homem pós-moderno que valores como a união, a cooperação, a paz, a responsabilidade e a organização.
A cultura da sociedade ocidental é baseada no consumo e orientada para a produtividade, portanto dentro deste contexto, muitas vezes o único caminho que vemos é o da competição. Se acreditarmos que a competição é o único e natural caminho, caímos numa grande armadilha, afinal aquilo em que acreditamos é aquilo o que construiremos.
Com relação ao desempenho acadêmico, uma série de estudos demonstra que crianças de várias classes sócio-econômicas têm maior sucesso em áreas como matemática, desenvolvimento vocacional e leitura quando estão trabalhando junto com seus colegas sob uma estrutura de objetivos cooperativos em vez de individualistas ou competitivos.

DICAS: A competição muito presente promove a comparação entre as pessoas e acaba por favorecer a exclusão baseada em critérios não discutidos mas apropriados por todos. Um ambiente competitivo aumenta a tensão e a frustração e pode desencadear comportamentos agressivos.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

ATIVIDADES E JOGOS RECREATIVOS

Aqui estão algumas atividades que vocês poderão utilizar nos momentos de recreação com as crianças.

1.Começou a Chover

Objetivos: Desenvolve a atenção; integração; imaginação.
Organização: Peça que as crianças se espalhem numa determinada área. Depois peça que cada uma desenhe um círculo ao redor dos pés (não colado aos pés, mas grande, em volta); estas serão as casas. Deve haver uma "casa" a menos que o total de participantes (ou seja, não desenhe um círculo ao redor dos seus próprios pés).
Desenvolvimento: Comece a brincadeira: saia andando pelo pátio, contando uma história qualquer e as crianças devem seguí-lo fazendo gestos e movimentos de acordo com a história. Procure se afastar das "casas" enquanto anda. Num determinado momento diga "Então, começou a chover!" As crianças devem então procurar a "casa" mais próxima e aí ficar. Quem ficar sem "casa" recomeça o jogo, contando uma nova história. Podem se formar vários grupos, e fazê-los competir entre si (quem termina mais rápido, quem termina certo, etc..).

2.Telefone sem fio

Objetivo: Desenvolve a atenção e percepção auditiva.
Organização: Os jogadores ficam sentados um ao lado do outro em fila.
Desenvolvimento:O primeiro jogador diz uma frase/mensagem no ouvido do colega seguinte. Cada participante após receber a mensagem fala o mais baixo possível no ouvido do colega seguinte até que o ultimo falará em voz alta o que recebeu. A mensagem muitas vezes chega completamente diferente!

3. Estátua

Objetivos: Desenvolve a atenção dos alunos e a integração da classe.
Organização: Você vai precisar de um aparelho de som.Todos os jogadores fazem um círculo e um fica como o mestre, controlando o som.
Desenvolvimento: Quando o mestre quiser, ele abaixa o volume e diz "estátua"! Os jogadores devem ficar em posição de estátua, sem se mexer e o mestre vai tentar fazer caretas e brincadeiras para ver quem se mexe primeiro. Não vale fazer cócegas. Quem se mexer ou rir primeiro, paga uma prenda e vai para o lugar do animador.

4. Mímica

Objetivos: Desenvolve a integração da classe.
Organização: Dividir o time em dois.
Desenvolvimento:Cada time vai pensar em um nome de uma categoria, exemplo: filme, música e outros; e chamar uma pessoa da outra equipe.A pessoa escolhida vai tentar representar o nome sem dizer uma palavra, para a sua própria turma. Se o time de quem estiver representando acertar em menos de 1 minuto ganha um ponto. Se não acertar, ganha a equipe adversária.

5. Barra-manteiga

Objetivos:Desenvolve a observação, atenção e agilidade.
Organização: Dividir o grupo em dois. Traçar duas linhas com uma distância média de 8 m entre elas. Os jogadores posicionam-se nas linhas, lado a lado.
Desenvolvimento: Alternadamente, os jogadores vão até o lado adversário. Todos devem estar com as palmas das mãos viradas para cima, braços direitos dobrados na altura da cintura. O jogador bate com a palma de sua mão direita, devagar, em todas as mãos disponíveis, até que, repentinamente, dá um tapa mais definido numa das mãos e corre para o seu lado. Quem receber o toque, imediatamente corre atrás e tenta pegar o adversário Se conseguir, este passa a ser da equipe que o apanhou, e o jogador que o pegou faz a mesma coisa no grupo contrário.A equipe que conseguir agarrar metade ou mais do outro grupo é a vencedora.

6. Batata- quente

Objetivo: Para não “morrer” com a bola na mão, as crianças precisam se concentrar e coordenar os movimentos ao ritmo da fala.
Organização: O grupo fica em círculo, sentado ou em pé. Uma criança fica fora da roda, de costas ou com os olhos vendados.
Desenvolvimento: o aluno que ficou de costas vai dizendo a frase: “Batata quente, quente, quente... queimou!” Enquanto isso, os demais vão passando a bola de mão em mão até ouvirem a palavra “queimou”. Quem estiver com a bola nesse momento sai da roda. Ganha o último que sobrar.- Uma opção é pedir para as crianças mudarem o ritmo com que dizem a frase. As que estão na roda têm de passar a bola de mão em mão, mais rápido ou devagar, conforme a fala.

7. Morto vivo

Objetivos:Desenvolve a observação, atenção, agilidade, percepção auditiva e reflexos rápidos.
Organização: Dispor as crianças enfileiradas na horizontal.
Desenvolvimento: Cada vez que o condutor falar MORTO, as crianças devem se agachar e quando ele falar VIVO eles devem se levantar, o condutor deverá ir falando cada vez mais rápido para que as crianças se confundam, quem errar sairá da brincadeira até que fique apenas o vencedor, depois a brincadeira recomeça novamente.

8. Estica-encolhe

Objetivos: Os movimentos são simples e dão às crianças a noção de ritmo.Desenvolve a percepção da própria imagem e das partes do corpo, criatividade e conceitos de rápido e lento.
Organização: Feito com música, o exercício ensina ritmo e a relação entre movimento e som.
Desenvolvimento:Incentive a criança a fazer movimentos de extensão e flexão de mãos, braços, pernas e do corpo inteiro. Mostre que a mão, contraída, fica igual a uma bolinha. Coloque uma música lenta e peça para ela fazer os movimentos no ritmo. Depois, coloque uma canção mais agitada e indique como ficam os movimentos nessa marcação.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Festa Junina: Dança/Quadrilha

  


Com uma música junina instrumental, siga os passos desta quadrilha:



Caminho da festa.
Os cavaleiros cumprimentam as damas.
As damas cumprimentam os cavaleiros.
Cavaleiros ao meio.
Balanceio.
Faz que vai, mas não vai.
Olha o duplo.
Cavaleiros do lado direito das damas.
Formar a grande roda.
As damas pra dentro, cavaleiros pra fora.
Formar a grande estrela.
Caminho da festa.
Formar um grande círculo.
As damas com as mãos para trás.
Passar as damas para trás.
Caminho da festa.
Olha o túnel.
Formar grande roda.
Cavaleiros pra dentro damas pra fora.
Formar grande estrela.
Caminho da festa.
As damas passam os cavaleiros pra frente.
Olha a chuva. Já parou.
A ponte quebrou. É mentira.
Olha a cobra. Já matou.
Direita com direita.
Damas ao passeio.
Cavaleiros ao passeio.
Passeio geral.
Vai começar o grande baile.
Começou o miudinho.
Entra os padrinhos.
O padrinho com a noiva.
Baile Geral.
Caminho da roça.

(*)Trecho retirado do site Jangada Brasil

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Festa Junina - Músicas

No mês de junho, aproveite para trabalhar com o tema da Festa Junina.
São muitas atividades que podem ser desenvolvidas na alfabetização e também com os alunos que sabem ler e escrever, mas possuem dificuldades na leitura e escrita.

Para iniciar o tema, é necessário verificar os conhecimentos prévios dos alunos através de conversas e complementar com pesquisas sobre o assunto. É interessante registrar o que já sabem sobre Festa Junina, músicas, comidas típicas, brincadeiras, danças etc.

Pode-se trabalhar diversas atividades na alfabetização com as músicas juninas, dentre elas:

- ler no coletivo seguindo a música com o dedo;
- ler e procurar as palavras que a professora disser na música;
- a música fatiada (em versos) para colocar em ordem;
- o texto da música em lacunas para completar;
- a música com as palavras juntas para segmentá-las;
- escrita em duplas da música conhecida.

Algumas músicas desta tradicional festa brasileira:

CAPELINHA DE MELÃO
Autores: João de Barros e Adalberto Ribeiro
Capelinha de melão
é de São João.
É de cravo, é de rosa,
 é de manjericão.
São João está dormindo, 
não me ouve não.
Acordai, acordai, 
acordai, João.
Atirei rosas pelo caminho.
A ventania veio e levou.
Tu me fizeste com seus espinhos 
uma coroa de flor.

PEDRO, ANTÔNIO E JOÃO
Autores: Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago
Com a filha de João
Antônio ia se casar,
mas Pedro fugiu com a noiva
na hora de ir pro altar.
A fogueira está queimando,
o balão está subindo,
Antônio estava chorando
e Pedro estava fugindo.
E no fim dessa história,
ao apagar-se a fogueira,
João consolava Antônio,
que caiu na bebedeira.


SONHO DE PAPEL
Autores: Carlos Braga e Alberto Ribeiro
O balão vai subindo, 
vem caindo a garoa.
O céu é tão lindo 
e a noite é tão boa.
São João, São João!
Acende a fogueira 
no meu coração.
Sonho de papel 
a girar na escuridão
soltei em seu louvor 
no sonho multicor.
Oh! Meu São João.
Meu balão azul 
foi subindo devagar
O vento que soprou 
meu sonho carregou.
Nem vai mais voltar. 

PULA A FOGUEIRA
Autor: João B. Filho
Pula a fogueira Iaiá, 
pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira 
já queimou o meu amor.

CAI, CAI, BALÃO
Cai, cai, balão.
Cai, cai, balão.
Aqui na minha mão.
Não vou lá, não vou lá, não vou lá.
Tenho medo de apanhar.


ISTO É LÁ COM SANTO ANTÔNIO 
(Lamartine Babo)
Eu pedi numa oração
ao querido São João
que me desse um matrimônio.
São João disse que não,
São João disse que não,
isto é lá com Santo Antônio.
Implorei a São João
desse ao menos um cartão
que eu levasse a Santo Antônio.
São João ficou zangado.
São João só dá cartão
com direito a batizado.
São João não me atendendo
a São Pedro fui correndo.
No portão do paraíso
disse o velho num sorriso:
"Minha gente eu sou chaveiro,
nunca fui casamenteiro.


CHEGOU A HORA DA FOGUEIRA

(Lamartine Babo) 
Chegou a hora da fogueira.
É noite de São João.
O céu fica todo iluminado,
fica todo estrelado,
pintadinho de balão.
Pensando na cabocla
a noite inteira
também fiz uma fogueira
dentro do meu coração.
Quando eu era pequenino,
de pé no chão,
recortava papel fino
pra fazer balão.
E o balão ia subindo
para o azul da imensidão.
Hoje em dia meu destino
não vive em paz.
O balão de papel fino
já não sobe mais.
O balão da ilusão
levou pedra e foi ao chão.

Seguidores