VENDA DE APOSTILAS E PROJETOS

Como complemento ao meu trabalho neste blog, elaborei para venda diversas apostilas de atividades de alfabetização e projetos pedagógicos de variados temas indicados para professores que atuam em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Alfabetização de Jovens e Adultos (EJA).

Tenho também CDs de áudio para Educação Infantil e Fundamental I, cartazes em EVA e livros infantis.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR MEU SITE E FAZER SEU PEDIDO

Os interessados poderão também entrar em contato por email ou pelos telefones abaixo:

glaucerossi@terra.com.br

glaucerossi@gmail.com

glauce.rossi@hotmail.com

glaucerossi@bol.com.br

(11) 97574-9228 - Vivo

(11) 95248-7897 - Tim

Glauce ou Hugo no horário de atendimento das 9:00 às 20:00 de segunda à sexta-feira.

WhatsApp

(11) 95248-7897

Loja virtual

CADASTRO DE CONTATO

FACEBOOK

terça-feira, 31 de março de 2015

Livros para trabalhar valores

No início do ano é importante fazer os combinados com os alunos e conversar muito sobre valores como respeito e amizade entre os colegas. Existem vários livros sobre estes assuntos.

Tenho um kit de 4 livros ilustrados com 24 páginas cada.
Tamanho: 24 cm (largura) x 24 cm (altura)
Livros indicados para serem trabalhados com crianças de Ensino Fundamental I, enfatizando os temas cidadania, caráter, respeito e valores.
Também indicados para os pais que queiram enfatizar os temas citados com seus filhos.

Preço do kit: R$ 60,00 já com despesas de envio pelo correio inclusas.
Quem tiver interesse entrar em contato por e-mail glaucerossi@terra.com.br





domingo, 29 de março de 2015

Incentivo a leitura

Precisamos incentivar a leitura de nossos alunos!

Uma das maneiras de incentivar o gosto pela leitura dos alunos é o projeto que incluem as sacolinhas para as crianças  levarem um livro para casa.

Temos o Projeto "Amigo livro" e as sacolinhas.



O Projeto por e-mail é R$12,00 e por envio do CD é R$15,00. O preço de cada sacolinha é R$ 4,00 + o frete a calcular. Aceitamos encomendas acima de 5 sacolas.

Se quiserem incluir um livrinho de Contos de Fadas em cada sacolinha o valor fica em R$ 5,00 + o frete.




Para adquirir, entre em contato por e-mail:


sexta-feira, 27 de março de 2015

Como trabalhar para que o aluno avance para o nível alfabético?

A hipótese alfabética parece ser um fim de um longo trabalho, mas é o começo de mais uma longa fase.




Características:
1. Escreve compondo sílabas foneticamente corretas;
2. Desconsideram a segmentação entre palavras;
3. Hipercorreção: exagera no uso de acentos e pontuação.

Intervenções:
1. Consultar dicionário;
2. Revisão de textos;
3. Quadro de regularidades;
4. Forca;
5.Segmentar pequenos textos (parlendas, quadrinhas etc).
6.Pintar lacuna entre palavras em pequenos textos (segmentação).

quinta-feira, 26 de março de 2015

Como trabalhar com a hipótese silábico-alfabética?







Hipótese silábico-alfabética

Características:
1. Fase de transição - silábico e o alfabético.
2. Ora compõe sílabas, ora não compõe na mesma palavra.
3. Faz maior uso de consoante.
4. Acredita que algumas consoantes se bastam para a composição da sílaba. Ex: B = BE.

Intervenções:
1. Cruzadinhas;
2. Forca;
3. Texto lacunado;
4. Pedir para a criança ler o que escreveu;
5. Ler para a criança o que ela escreveu do modo que ela escreveu.


Até a próxima fase, a hipótese alfabética.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica?



Hipótese silábica





Características:

1. Percebe a relação entre a oralidade e a escrita.

2. Usa uma letra para cada som.

3. Pode ou não fazer uso de valor sonoro

4. Determina mínimo de letras.

Intervenções:

Trabalhar com nomes dos alunos.

Textos de memória (parlenda, cantigas, listas etc).

Cruzadinhas e textos lacunados para perceber o número de letras das palavras.

Atividades para contar as letras e as sílabas das palavras.

Atividade para alterar vogais e manter as consoantes. Ex: BOLA- BOLO -BELA



Aguarde a fase de escrita silábico-alfabética.
Até a próxima!

terça-feira, 24 de março de 2015

Como trabalhar com a hipótese da escrita pré-silábica?








Hoje vou publicar as características de uma das hipóteses de escrita e quais intervenções do professor.

HIPÓTESE PRÉ-SILÁBICA

Características:
1. Utilizam números, letras e psedo-letras.
2. O critério de qualidade é forte.
3. Não compreendem que a escrita é a representação da fala.
4. Realismo nominal (quanto maior o objeto representado, maior o número de caracteres) Ex: A formiga é pequena por isso escrevem com menos letras, enquanto que o boi é grande então eles escrevem com mais letras.

Intervenções:
1.Trabalhar com o o nome próprio e dos outros 
2. Leitura de textos que saibam de memória pelo professor e pelo aluno (parlendas, cantigas, trava-línguas etc) 
3. Oferecer lista de palavras com lacunas/ figuras
4. Cruzadinhas com banco de palavras e/ou com imagens 



Na próxima, estarei publicando sobre a hipótese silábica.

Aguarde.

domingo, 22 de março de 2015

Brincadeiras de Páscoa

Aqui estão algumas brincadeiras com o tema da Páscoa:

Coelhinho na toca 
Preparação: Os alunos devem se organizar em trios. Dois alunos formam um círculo (a toca), dando as mãos, e o terceiro faz o papel de coelhinho dentro da toca. Os demais alunos ficam no centro. Desenrolar: A um sinal do professor cada coelhinho muda de toca enquanto os outros tentam ocupar um dos lugares vagos. Os que ficarem sem toca vão para o centro e o jogo continua.

A careta da cenoura 
Preparação: Cada elemento recebe uma rodela de cenoura, que deverá colocá-la no olho, estando com a cabeça inclinada para trás. 
Desenrolar: Ao sinal de início do jogo, cada jogador, sem usar as mãos, tentará levar a rodela de cenoura até a boca, fazendo movimentos com os olhos, boca e nariz. Cada elemento que conseguir comer a cenoura marcará um ponto.

Onde está o coelhinho
Preparação: Este jogo é ideal para o início do dia. Coloca-se um coelhinho de pelúcia bem pequeno em um lugar discreto, mas visível. 
Desenrolar: A medida que as crianças vão chegando no ambiente pede-se individualmente que procurem o coelhinho. Cada uma deverá sair na busca, mas quando achar o coelhinho não deverá dar mostras disso, deverá discretamente sair e contar para o animador do jogo que o encontrou. Procede-se desta forma até que todos tenham encontrado o coelhinho.

Hop, hop, coelhinho 
Preparação: As crianças ficam em círculo e um dos jogadores é escolhido para iniciar o jogo. Desenrolar: O jogador escolhido andará em volta do círculo batendo nas costa de cada um dos seus componentes dizendo a cada batida a palavra "hop". Irá prosseguindo assim até que escolherá um jogador e quando bater nas suas costas ele dirá a palavra "coelhinho". Neste momento ele sai correndo e o jogador escolhido sai correndo atrás dele. O primeiro jogador estará a salvo se conseguir alcançar o lugar ocupado pelo seu perseguidor antes que este bata nas suas costas dizendo a palavra "hop". Se isto acontecer o perseguidor começará novamente o jogo girando em torno do círculo e batendo nas costas de cada elemento dizendo a palavra "hop". Caso o perseguidor consiga "pegar" o outro ele voltará ao seu lugar e a criança "pega" repetirá novamente as ações para nova rodada do jogo..

Corrida "de nariz" 
Preparação: Divide-se o grupo em times que contenham quatro a cinco crianças cada um. Colocam-se as crianças de cada time em fileira atrás de uma linha de partida. Na frente de cada time deverá haver um ovinho de chocolate para cada criança e distante cerca de 4m um círculo de giz de cerca de 50 cm de diâmetro. 
Desenrolar: Iniciando o jogo o primeiro aluno de cada fileira sai e deverá mover um dos ovinhos até o interior do círculo tocando-o com o nariz. Vence a equipe que terminar primeiro com todos os seus ovinhos no interior do círculo.

Caça ao tesouro 
Para encerrar a semana de páscoa pode-se fazer a brincadeira "caça ao tesouro", na qual a turma procura os ovinhos por meio de pistas colocadas pela professora. As pistas que auxiliaram os alunos no decorrer da brincadeira colaboram para desenvolver a localização espacial e o vocabulário. É uma atividade prazerosa e divertida onde não falta o entusiasmo em buscar as dicas deixadas pelo coelhinho, que anunciou onde estavam os deliciosos ovos de páscoa que escondera. Depois do corre-corre, todos são presenteados com os chocolates.

É importante lembrar que brincar faz parte do desenvolvimento da criança e que as brincadeiras oferecem diversão e entretenimento, além de ajudar no aprendizado.

sábado, 21 de março de 2015

Dobradura do Coelhinho da Páscoa


















Simples e fácil de fazer:

1- Corte o papel formando um quadrado e dobre na diagonal.
2 - Dobre uma ponta superior para a frente, até uni-la à ponta inferior.
3 - Dobre a outra ponta para a frente, também.
4- Dobre uma ponta inferior para cima, formando uma orelhinha.
5- Dobre a outra ponta para a cima, formando outra orelhinha.
6- Na ponta do queixo, dobre para trás.
7- Desenhe o nariz e os olhos. Está pronto!

terça-feira, 17 de março de 2015

Páscoa - Caça ao tesouro


Caça ao tesouro 

Para a semana de páscoa que tal fazer a brincadeira "caça ao tesouro", na qual a turma procura os ovinhos por meio de pistas colocadas pela professora. As pistas que auxiliaram os alunos no decorrer da brincadeira colaboram para desenvolver a localização espacial e o vocabulário. É uma atividade prazerosa e divertida onde não falta o entusiasmo em buscar as dicas deixadas pelo coelhinho, que anunciou onde estavam os deliciosos ovos de páscoa que escondera. Depois do corre-corre, todos são presenteados com os chocolates.

Procedimentos:


Faça as cinco pistas do tesouro, dando dicas de onde estão. Coloque-as nos lugares das respostas e só a primeira pista estará com a professora. Explique a brincadeira e diga que o coelho esteve aqui e deixou dicas para eles  procurarem os ovinhos.

Na última pista coloque os ovinhos.

As pistas deixadas pelo coelhinho:

Primeira pista: Onde moram as plantinhas e as flores na escola...
R:  jardim da escola

Segunda pista:  Onde nós nos alimentamos...
R: refeitório  

Terceira pista: Onde se faz a comida na escola...
R: cozinha

Quarta pista: Onde ficam os nossos amigos livros...
R: biblioteca ou sala de leitura

Última pista: Onde fazemos educação física ou onde tem muitos brinquedos...
R: Quadra ou parque

sexta-feira, 13 de março de 2015

Páscoa - Receita de docinho


RECEITA

DOCINHO DE CHOCOLATE
INGREDIENTES:
2 LATAS DE LEITE CONDENSADO
1 LATA DE LEITE EM PÓ
1 LATA DE CHOCOLATE EM PÓ
UMA XÍCARA DE CHÁ DE AÇÚCAR

MODO DE PREPARO: COLOQUE EM UMA TIGELA TODOS OS INGREDIENTES E MISTURE BEM A MASSA. AMASSE TUDO, ENROLE O DOCINHO, PASSE NO AÇÚCAR E COLOQUE NUMA BANDEJA. PRONTO, AGORA VOCÊ JÁ PODE SABOREAR ESSE DELICIOSO DOCINHO!


COMO TRABALHAR COM A RECEITA:
Converse com seus alunos se eles já viram alguém da família cozinhar ou se eles ajudam em casa a fazer comida. Pergunte se alguém da família usa receitas para cozinhar.

Diga a eles que vamos fazer uma receita na escola. Distribua a receita para as crianças para que elas possam ler e procurar saber qual receita vamos fazer. Se eles ainda não sabem ler, leia para as crianças com a receita escrita na lousa ou em um cartaz com letra em bastão. Os alunos vão acompanhando a leitura da receita.

Organizar a sala de aula com tudo o que vão utilizar, inclusive nesse momento reforce os conceitos de higiene.

Você pode começar a receita com as crianças observando e lendo ou dizendo os ingredientes e o modo de preparo, mas é importante a participação de cada criança enrolando o seu docinho. 


Depois todos vão saborear o doce.

Essa receita é fácil e fica uma delícia! As crianças vão adorar e aprender muito.

terça-feira, 10 de março de 2015

Páscoa - Atividade de escrita













Atividade de escrita com a música COELHINHO DA PÁSCOA.

Formar os alunos em duplas e colocar os alunos pré-silábicos com os silábicos e os silábicos-alfabéticos com os alfabéticos. 
Combinar que um aluno vai ditar e o outro escrever a música, mas juntos devem chegar a um acordo sobre a escrita do texto. 
O professor deve circular pela sala e desafiá-los a pensar sobre a escrita.
Garantir a socialização das escritas da música.

AGORA É A SUA VEZ! ESCREVA COMO SOUBER A MÚSICA DO COELHINHO:
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________

segunda-feira, 9 de março de 2015

Páscoa - Atividade de leitura

Para iniciar o trabalho de alfabetização com o tema da Páscoa você pode utilizar de cantigas conhecidas pelas crianças que elas adoram.
Exemplo:







COELHINHO DA PÁSCOA

COELHINHO DA PÁSCOA
QUE TRAZES PRA MIM?
UM OVO, DOIS OVOS, TRÊS OVOS ASSIM.

COELHINHO DA PÁSCOA
QUE COR ELES SÃO?
AMARELO AZUL E VERMELHO TAMBÉM.

Como trabalhar a leitura:
Faça um cartaz com a cantiga com letras em bastão. Peça para as crianças cantarem enquanto você vai apontando no cartaz as palavras.
Dê uma cópia da música e peça que elas acompanhem a música com o dedo.
Dite algumas palavras para a criança procurar na música e pintar.
Depois elas poderão fazer uma ilustração da música ao lado da música.
Com o uso de cantigas o aluno estará "lendo" antes de saber ler convencionalmente, além de estabelecer correspondência entre partes do oral e escrito, ajustando o que sabe de cor à escrita convencional.

domingo, 8 de março de 2015

Trabalhando com o tema da Páscoa

Para iniciar o trabalho sobre a páscoa você pode fazer um levantamento dos conhecimentos prévios de seus alunos.
Converse com eles o que eles entendem sobre a Páscoa e se eles conhecem os símbolos da Páscoa. Não se esqueça de que alguns alunos não comemoram a Páscoa por questões religiosas. No entanto, você pode trabalhar este tema, sem grandes aprofundamentos, mas mostrando o verdadeiro significado dessa data.
As atividades de alfabetização (músicas, caça-palavras, cruzadinhas, produção de texto e outras), você deve aplicá-las, adequando-as de acordo as fases de escrita de seus alunos. Procure fazer as intervenções necessárias, considerando as fases de aquisição da escrita em que seus alunos se encontram.



















Solicite seu kit pelo site:

segunda-feira, 2 de março de 2015

O que é letramento?


LETRAMENTO NÃO É UM GANCHO
EM QUE PENDURA CADA SOM ENUNCIADO,
NÃO É TREINAMENTO REPETITIVO
DE UMA HABILIDADE,
NEM UM MARTELO
QUEBRANDO BLOCOS DE GRAMÁTICA.


LETRAMENTO É DIVERSÃO
É LEITURA À LUZ DA VELA
OU LÁ FORA, À LUZ DO SOL.

SÃO NOTÍCIAS SOBRE O PRESIDENTE
O TEMPO, OS ARTISTAS DA TV
E MESMO MÔNICA E CEBOLINHA
NOS JORNAIS DE DOMINGO.


É UMA RECEITA DE BISCOITO,
UMA LISTA DE COMPRAS,
RECADOS COLADOS NA GELADEIRA,
UM BILHETE DE AMOR,
TELEGRAMAS DE PARABÉNS E CARTAS DE VELHOS AMIGOS.


É VIAJAR PARA PAÍSES DESCONHECIDOS
SEM DEIXAR SUA CAMA,
É RIR E CHORAR
COM PERSONAGENS, HERÓIS E GRANDES AMIGOS.


É UM ATLAS DO MUNDO,
SINAIS DE TRÂNSITO, CAÇAS AO TESOURO,
MANUAIS, INSTRUÇÕES, GUIAS,
E ORIENTAÇÕES EM BULAS DE REMÉDIOS,
PARA QUE VOCÊ NÃO FIQUE PERDIDO.


LETRAMENTO É, SOBRETUDO,
UM MAPA DO CORAÇÃO DO HOMEM,
UM MAPA DE QUEM VOCÊ É,
E DE TUDO QUE VOCÊ PODE SER.



CHONG, Kate M. O que é letramento. In Sores, Magda Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. (p.410









domingo, 1 de março de 2015

O que é letramento?







As crianças convivem com a língua oral em diferentes situações de interação social e, por meio desta, aprendem sobre si, sobre os seus pares e sobre a realidade que as cercam. Estão igualmente cercadas de situações nas quais estão presentes as práticas sociais de leitura e escrita, como, por exemplo: escrita de cartas, bilhetes e avisos, leitura de rótulos de embalagens, placas e outdoors, escuta de histórias, poemas e parlendas, dentre outros.

Sabe-se que crianças que estão inseridas em ambientes ricos em experiências de leitura e escrita, não só se motivam para ler e escrever, mas, começam, desde cedo, a refletir sobre os materiais de escrita que circulam socialmente. Em contrapartida, aquelas que têm poucas oportunidades de acesso a estes materiais, apresentam mais dificuldades na apropriação da língua. Negar-lhes a oportunidade e o direito às práticas sociais de leitura e escrita, é, sobretudo, contribuir para manutenção e perpetuação da desigualdade e exclusão social em nosso país.


Portanto, cabe aos professores, responsáveis pelo ensino da leitura e da escrita, oferecer oportunidades de acesso a cultura escrita, ampliando as capacidades e as experiências das crianças de modo que elas possam ler e escrever com autonomia.

Para tanto, faz necessário que, por meio das práticas alfabetizadoras, contemplem, de maneira articulada e simultânea, os processos de alfabetização e o letramento, ou seja, a apropriação do sistema alfabético e ortográfico e o uso da língua em práticas sociais de leitura e escrita.


Segundo Magda Soares, o desenvolvimento de habilidades de uso da tecnologia da escrita, isto é, da apropriação do sistema alfabético e ortográfico, acontece por meio da inserção em práticas sociais que envolvem a leitura e escrita: letramento.


Letramento é: usar a leitura e a escrita para seguir instruções (receitas, bula de remédio, manuais de jogo), apoiar à memória (lista), comunicar-se (recado, bilhete, telegrama), divertir e emocionar-se (conto, fábula, lenda), informar (notícia), orientar-se no mundo (o Atlas) e nas ruas (os sinais de trânsito)...


O letramento tem início quando a criança começa a conviver com as diferentes manifestações da escrita na sociedade e se amplia cotidianamente por toda vida, com a participação nas práticas sociais que envolvem a língua escrita. Abarca as mais diversas práticas de escrita na sociedade e pode ir desde uma apropriação mínima da escrita, tal como o individuo que é analfabeto, mas letrado na medida em que identifica o valor do dinheiro e o ônibus que deve tomar, consegue fazer cálculos complexos, sabe distinguir marcas de mercadorias etc., porém não escreve cartas, não lê jornal, etc. Se a criança não sabe ler, mas pede que leiam histórias para ela, ou finge estar lendo um livro, se não sabe escrever, mas faz rabiscos dizendo que aquilo é uma carta que escreveu para alguém, é letrada, embora analfabeta, porque conhece e tenta exercer, no limite de suas possibilidades, práticas de leitura e de escrita.


Para Soares, o aprendizado da tecnologia da escrita e o uso da mesma em diferentes práticas sociais constituem dois processos simultâneos, interdependentes e indissociáveis. Estas duas aprendizagens se fazem ao mesmo tempo, porém uma não é pré-requisito da outra.


A alfabetização se desenvolve no contexto de e por meio de práticas sociais de leitura e de escrita, isto é, através de atividades de letramento, e este, por sua vez, só pode desenvolver-se no contexto da e por meio da alfabetização.


Alfabetizar letrando significa orientar o/a alfabetizando/a para que ele/a aprenda a ler e a escrever na perspectiva da convivência com práticas reais de leitura e de escrita. Isto implica em substituir as tradicionais e artificiais cartilhas por livros, por revistas, por jornais, enfim, pelo material de leitura situações que tornem necessárias e significativas práticas de produção de textos.


ALFABETIZAR LETRANDO: ação de ensinar a ler e escrever no contexto das práticas sociais de leitura e escrita.

Seguidores