VENDA DE APOSTILAS E PROJETOS

Como complemento ao meu trabalho neste blog, elaborei para venda diversas apostilas de atividades de alfabetização e projetos pedagógicos de variados temas indicados para professores que atuam em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Alfabetização de Jovens e Adultos (EJA).

Tenho também CDs de áudio para Educação Infantil e Fundamental I, cartazes em EVA e livros infantis.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR MEU SITE E FAZER SEU PEDIDO

Os interessados poderão também entrar em contato por email ou pelos telefones abaixo:

glaucerossi@terra.com.br

glaucerossi@gmail.com

glauce.rossi@hotmail.com

glaucerossi@bol.com.br

(11) 97574-9228 - Vivo

(11) 95248-7897 - Tim

Glauce ou Hugo no horário de atendimento das 9:00 às 20:00 de segunda à sexta-feira.

WhatsApp

(11) 95248-7897

Loja virtual

CADASTRO DE CONTATO

FACEBOOK

sábado, 29 de abril de 2017

Práticas para o professor alfabetizador


1. Fazer um levantamento do que os alunos já sabem sobre a escrita. 
Através da sondagem da escrita,  o professor vai fazer um diagnóstico para saber a fase da escrita que seus alunos se encontram: pré-silábicos, silábicos, silábicos-alfabéticos e alfabéticos. É feito um ditado com uma lista de  palavras e a partir desta sondagem o professor poderá planejar as suas aulas. 

2. Planejar atividades a fim de levar os alunos a refletirem sobre o sistema de escrita e avançarem em suas hipóteses. 
Para isso é preciso utilizar atividades com textos curtos e de memória como parlendas e cantigas, atividades com cruzadinhas, listas etc. No decorrer da atividade o professor deve desafiar os alunos a pensarem sobre a escrita. A intenção é fazer com que as crianças investiguem quais letras, quantas e onde usá-las para escrever. 

3. Realizar atividades em que predominam as práticas de linguagem. 
A importância destas atividades é levar a criança a entender as funções e organização da escrita. O professor deve ler em voz alta para a turma diversos tipos de textos, além de produzir junto com a turma textos onde ele é o escriba.

4. Trabalhar com atividades permanentes de leitura e escrita
Todos os dias planejar atividades de leitura como, por exemplo, a leitura em voz alta pelo professor e atividades que envolvam a escrita, por exemplo, escrever uma lista de brinquedos.

5. Trabalhar com projetos ou sequências didáticas
Para dar um sentido maior às atividades realizadas, é importante trabalhar com contextos e atividades contínuas onde se incluem desafios reais de aprendizado. 

domingo, 23 de abril de 2017

DIA DO TRABALHO

Uma sugestão para trabalhar o Dia do Trabalho é utilizar a música "Criança não trabalha".
Em uma roda de conversa, discutir por que a criança não deve trabalhar e se hoje tem crianças que trabalham. O que as crianças devem fazer no lugar do trabalho? (estudar, brincar).

Clique em cima da imagem e em salvar para visualizar melhor a atividade:




sexta-feira, 21 de abril de 2017

10 livros sobre alfabetização

Resultado de imagem para Alfabetização: A Questão de Métodos, de Magda Soares







Alfabetização: A Questão de Métodos, de Magda Soares

Resultado de imagem para psicogênese da lingua escrita emilia ferreiro
 Psicogênese da Língua Escrita, de Emilia Ferreiro e Ana Teberosky
Resultado de imagem para alfabetização e letramento livro
Alfabetização e Letramento, de Magda Soares
Resultado de imagem para com todas as letras
Com todas as letras, de Emilia Ferreiro
Resultado de imagem para diante das letras livro
Diante das letras: a escrita na alfabetização, de Luiz Carlos Cagliari
Resultado de imagem para alfabetização leitura do mundo
Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra, de Paulo Freire
Resultado de imagem para além da alfabetização
Além da alfabetização, de Ana Teberosky
Resultado de imagem para alfabetizaçãopossivel livro
Alfabetização possível, de Jaqueline Moll
Resultado de imagem para Coleção didática da alfabetização, de Esther P. Grossi

Coleção didática da alfabetização, de Esther P. Grossi
Resultado de imagem para alfabetização em processo
Alfabetização em processo, de Emília ferreiro

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Existe idade certa para alfabetizar?

Qual a idade ideal para uma criança ser alfabetizada? Existe idade certa? Perguntas assim fazem parte das dúvidas dos pais, na maioria das vezes, logo que a criança completa de três a quatro anos. Tenho recebido vários e-mails de pais sobre este assunto, por isso resolvi escrever. Percebo muitas vezes uma ansiedade e angústia por parte dos pais no encaminhamento de seus filhos à escola, mais precisamente ao processo de alfabetização.

Mas será mesmo que o começo desta experiência está nas mãos do adulto?
Acredito que não há a idade certa para a alfabetização, o que existe é o momento certo.
O caminho da alfabetização começa desde pequeno, antes dos seis anos, as atividades de “pré-alfabetização” são importantes para que este processo ocorra tranqüilamente, mas isso não quer dizer que deva preparar as crianças para a alfabetização com atividades prontas e sim estimular o contato com nomes, placas, jornais, revistas, livros e tudo o que tiver letras. Dar oportunidades para interagir com o mundo letrado. Assim é própria criança que vai dizer qual é o melhor momento certo para ela aprender a ler e a escrever, quando ela nos procura, nos faz perguntas, mostra-se ávida por saber e descobrir coisas novas.


As crianças antes dos seis anos, principalmente, precisam de muito estímulo, afetividade e integração, além do conteúdo. Também nesta idade as brincadeiras em grupo e vivências auxiliam as crianças no seu desenvolvimento global, tanto no aspecto emocional, cognitivo e social. O espaço físico para as brincadeiras também é algo importante do pai analisar na hora de escolher a escola. É essencial, principalmente entre dois e três anos, a criança ter espaço para desenvolver o lúdico, mais do que atividade em sala de aula.

Cada criança é única, assim como algumas aprendem a andar cedo, outras começam a falar cedo. Também na alfabetização, umas aprendem com quatro anos, outras com cinco ou até sete anos. Há crianças que aprendem com mais de oito anos. Isso não quer dizer que uma é melhor que a outra, ou que estas últimas apresentam problemas por terem mais idade.

O importante é respeitar o desenvolvimento e o ritmo da criança, seja qual for a idade dela.

terça-feira, 11 de abril de 2017

O que são atividades de leitura e escrita

No processo de alfabetização, as atividades de leitura são aquelas em que a criança é desafiada a pensar sobre o valor sonoro do código alfabético para realizar a leitura.
Ela precisa de estratégias para localizar palavras, frases, letras etc. Isto se torna mais fácil quando o texto é conhecido, como o caso das parlendas, poemas, cantigas etc. Nestes textos, a criança precisa relacionar o que sabe que está escrito com o que realmente está escrito. Ela precisa fazer ajustes na leitura, pensando onde começa e onde termina o que está lendo. Aos poucos, com os conhecimentos que vai adquirindo, a criança tece estratégias para realizar a leitura. Por exemplo, numa lista, ela pode apontar um determinado nome porque conhece o valor sonoro da letra inicial. Neste momento, é possível oferecer a criança atividades como cruzadinha em que haja um banco de palavras ou atividades em que ela precise localizar um determinado nome. Por exemplo: para a figura de um morango, escreva duas palavras: morango e tomate. Se a criança atribui valor sonoro a letra inicial ou final, vai realizar a atividade sem problemas.
O uso do texto memorizado é um importante recurso na alfabetização. Com ele a criança sente que pode ler, ainda que não convencionalmente. Após recitá-lo ou cantá-lo várias vezes, o professor pode pedir às crianças que leiam, acompanhando o texto da lousa ou do cartaz. Neste momento, a criança exercita o ajuste da leitura, que precisa terminar junto com a fala.

Nas atividades de escrita, a criança é levada a utilizar todos os conhecimentos que já adquiriu sobre a questão, como por exemplos: a posição das letras, o código alfabético, as quantidades de letras necessárias etc. Este trabalho geralmente pode ser feito em duplas, nas quais os saberes sejam diferentes, ou individualmente, dependendo do objetivo do professor.
Para a escrita, o professor precisa entender a fase de escrita em que a criança se encontra para que possa fazer intervenções a fim de que ela avance em sua fase. A produção escrita da criança deve ser realizada desde o início da alfabetização, mesmo se ela não é alfabética. Pode-se escrever listas, parlendas, poemas, canções, histórias etc.
Achar que a escrita do aluno não-alfabético está errada e que ele não sabe nada, é desrespeitar o momento do processo de construção da escrita pela criança.

domingo, 2 de abril de 2017

PÁSCOA - PLANO DE AULA

TEMA: CONSTRUÇÃO DA BASE ALFABÉTICA

OBJETIVOs:
·     Que os alunos possam avançar na reflexão sobre o sistema de escrita.
·      Levantar questões de ortografia (alfabéticos).

CONTEÚDO:
·     Receita de docinho

Procedimentos:
·     Apresentar a receita aos alunos e conversar sobre a função do texto, mostrar um livro de receitas para que os alunos conheçam o portador do texto;
·     Pedir para que eles completem as palavras que estão faltando no texto;
·     Organizar agrupamentos em função do que os alunos sabem sobre a escrita.
·     Para os alfabéticos, ler autonomamente a receita e completá-la;
·     Socializar respostas.

recursos:
·     Cópia com a receita (faltando os ingredientes)
·     Quadro-negro.

Avaliação: 
Registro das observações dos alunos.

OBS. APROVEITE A RECEITA PARA FAZER O DOCINHO COM SEUS ALUNOS.


RECEITA

DOCINHO DE CHOCOLATE

INGREDIENTES:

2 LATAS DE   __ __ __ __ __  CONDENSADO

1  __ __ __ __   DE LEITE EM PÓ

1 LATA DE CHOCOLATE EM  __ __

UMA  __ __ __ __ __ __  DE CHÁ DE AÇÚCAR



MODO DE PREPARO: 

COLOQUE EM UMA TIGELA TODOS OS INGREDIENTES E MISTURE BEM A MASSA. 

AMASSE TUDO, ENROLE O DOCINHO, PASSE NO AÇÚCAR E COLOQUE NUMA BANDEJA. 

PRONTO, AGORA VOCÊ JÁ PODE SABOREAR ESSE DELICIOSO DOCINHO!

Seguidores